Oito maneiras de manter seu gato idoso saudável

A gente sabe bem que é difícil admitir que o nosso gato já não é mais um bebezinho, mas pensando na qualidade de vida do nosso pet, é preciso encarar a realidade de que, a partir do sétimo aniversário, o felino doméstico precisa receber cuidados especiais para se manter saudável!

Veja abaixo oito maneiras para continuar cuidando muito bem do seu gato que não é velho, só é jovem há muito tempo 🙂.

Gato-idoso-Petlove

Visitas ao médico veterinário

Começamos com uma dica que não é exclusiva aos gatos idosos, porém, à medida que a idade avança e o organismo do pet vai ficando mais debilitado, a presença do médico veterinário se torna ainda mais primordial para garantir que o seu felino doméstico está com a saúde em dia.

A cada seis meses (ou na frequência que o doutor(a) recomendar) visite ou peça que o médico veterinário vá até a sua casa para realizar um check-up. Nunca abra mão de uma ajuda profissional e tente medicar ou mudar a alimentação do seu gato por conta, esse é um caminho MUITO perigoso e pode até levar o peludinho a óbito.

Ofereça escadas e prateleiras

Sabe aquela frase que a gente costuma ouvir “a cabeça pensa, mas o corpo não obedece”, pois bem, não é de uma hora pra outra que o seu gato vai perceber que escalar até o topo do armário ou pular da cama para o guarda-roupa já não é tão fácil como foi um dia.

E aí mora um perigo – já que as quedas são terríveis ameaças aos pets – pois, cair de mal jeito pode trazer graves consequências. Outro problema que pode ocorrer além das quedas, são as doenças articulares, como a artrite, que é bem comum em gatos vovôs. Por isso, pense em maneiras de como facilitar o acesso do seu felino aos locais prediletos dele, oferecendo escadas e prateleiras. Só não dá pra impedir o gato de não querer ficar lá no topo, pois é tendo a visão de cima que ele se sente mais seguro e feliz.

Fique de olho na balança

Nada contra a aparência dos gatos mais cheinhos, mas como a questão aqui é saúde, não dá pra achar que o excesso de peso seja algo saudável. Lembre-se que o acúmulo de gordura encurta a vida do seu pet, pois o sobrepeso ou a obesidade podem acarretar em doenças de pele, alterações da função renal, doenças do trato urinário inferior, distúrbios cardiorrespiratórios e até câncer, isso só pra ficar em alguns exemplos. 

Naturalmente, o gato quando envelhece vai ficando menos disposto a gastar energia, e é necessário ajustes na alimentação e nas atividades diárias do felino para que ele não ganhe peso com facilidade. 

Adapte a alimentação

A dica anterior serviu de spoiler, mas o que você deve saber é que as rações para gatos idosos não existem à toa e realmente fazem muita diferença no bem-estar deles. Isso porque estas rações secas e úmidas contêm nutrientes que foram pensados para garantir as necessidades atuais do pet.

E qual opção oferecer? Melhor consultar um médico veterinário ou zootecnista para que ele avalie o estado de saúde do seu gato e depois indique as rações que melhor atenderão às necessidades do seu pet. Em alguns casos, pode até haver indicação de algum suplemento

Preste atenção aos comportamentos

Notavelmente os gatos escondem bem quando estão passando por algum problema de saúde, por esse motivo, é muito importante prestar atenção diariamente aos comportamentos do peludinho.

Mesmo que não seja nada brusco, peça ajuda médica veterinária se começar a perceber que o gato está perdendo apetite, está mais apático, procurando se esconder com mais frequência e fica estressado quando você tenta pegá-lo. Nessas condições, melhor não subestimar a situação e, claro, não acreditar em “remédios milagrosos” indicados por conhecidos.

Veja a caixinha de areia

Um dos melhores jeitos de saber como está a saúde do seu gato é observar como anda a caixinha de areia dele. Rastros de sangue, falta de urina ou fezes e marcas de vômito são sinais claros que alguma coisa não vai bem, certo?

Mas além desses sinais, observe a consistência das fezes, a coloração e note se há mudanças no odor. Qualquer mudança nesse sentido merece um aviso ao médico veterinário – o quanto antes.

Preze pelo conforto

Você mesmo não vislumbra com uma aposentadoria confortável? Então, apesar de não fazer ideia do que seja uma aposentadoria, o gato também vai ficar bem feliz se ao chegar na terceira idade puder contar com alguns confortos para favorecer o seu bem-estar.

E é bom deixar claro que a questão do conforto não é pra incentivar o seu gato a ficar mais tempo deitado ou relaxado, ele precisa se manter ativo para uma melhor saúde. Estamos falando de uma caminha mais confortável, manta para mantê-lo aquecido, uma caixinha de areia que seja mais fácil para ele entrar, um ambiente mais silencioso, almofadas bem macias nos locais preferidos do bichano etc.

Prove sempre o seu amor

Se você seguir as demais dicas que nós demos, vai ficar muito fácil dar conta desta última que é nunca deixar faltar amor ao seu gato senhorzinho. Se amor em forma de cuidado virá com a soma das atitudes acima, o amor que “aquece a alma” pode vir com afagos, convites para brincadeiras, beijinhos, muito cafuné e declarações bem melosas com aquela voz fininha que todo mundo faz quando tem um gato por perto.

Saber que é alguém amado e estimado, deixa os pets (na verdade qualquer um) energizados, confiantes, seguros e motivados. Prontos para muitos e muitos anos de bagunça, companheirismo, travessuras e, claro, muito amor!

Sobre o autor

Anderson Mafra

Anderson Mafra

Jornalista apaixonado por animais, comunicação, música e não perde um concurso cultural (na verdade já perdeu vários). Curioso de mão cheia, quer saber sempre mais e compartilhar conteúdo, dicas e curiosidades do mundo pet. É um petlover assumido, sem chance de reabilitação.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.