Cadastre-se e ganhe 20% OFF na primeira assinatura!

Pesquisa revela que gatos que vivem soltos raramente vão para longe de casa

Aqui no blog da Petlove, já falamos sobre vários motivos pelos quais você nunca deve deixar seu gato viver livre fora de casa, pois o que não faltam são motivos pra mostrar o quanto isso é prejudicial. Mas já parou pra pensar até onde os gatinhos que vivem com acesso à rua podem ir? 

Gato na rua em frente a casa

Pesquisadores da Universidade Norueguesa de Ciências da Vida realizaram um estudo com 100 gatos com livre acesso à rua que vivem na Cidade de Ås, localizada no sul da Noruega. Os resultados foram possíveis a partir de dados coletados do GPS que cada um dos felinos recebeu. 

A pesquisa revelou que, em 79% do tempo ao ar livre, os gatos não foram mais longe do que 50 metros de suas casas. Ou seja, eles mal saiam de perto do quintal ou jardim durante as voltinhas. A média máxima foi de 352 metros de distância da residência. 

O professor responsável pela pesquisa, Richard Bischof, explica que apesar dessas médias, tiveram exceções, como casos de felinos que andaram por quilômetros. Segundo ele, cada gato tem hábitos diferentes. 

Todos os gatos pesquisados eram castrados, fato que desestimula passeios mais longos. Esse é mais um ponto que mostra que a característica de grandes viagens é atribuída a hábitos próprios de um determinado felino. 

A caça e o desequilíbrio ambiental

Outro ponto, dessa vez observado na maioria dos gatos da pesquisa, é que mesmo tendo acesso à comida ilimitada dentro de casa, eles preferiam satisfazer seus instintos felinos caçando outros seres vivos. 

A busca por saber mais sobre esse hábito de caça em pequenos locais é o que motivou os pesquisadores a estudarem esses casos. O foco era descobrir se tais hábitos de caça afetavam a vida selvagem local. 

Gato na rua andando com rato na boca

O estudo descobriu que os gatos se limitam a pequenas áreas, o que pôde esclarecer soluções possíveis para os problemas de desequilíbrio ambiental. Entre uma das sugestões de soluções estão: evitar a vida livre dos gatos fora de casa e castrar os pets.

Os cientistas sugerem que sejam feitos novos estudos sobre esse assunto, a fim de entender melhor como elucidar esse problema.

Compartilhe esta matéria!

Sobre o autor

Amanda Fernandes

Estudante de Jornalismo, mãe do Dachshund (vulgo salsichinha) Scott, da gatinha Cristal e do agapornis Alisson. Sou amante de pets e de história, mas principalmente por pets. Desde pequena conhecida pela super paixão por cachorros.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.