Porque não usar anticoncepcional em cadelas e gatas

O título do post não deixa dúvidas. Definitivamente, você não deve considerar o uso de anticoncepcional em cadelas e gatas para impedir que suas pets possam procriar. A seguir nós te contamos os riscos envolvidos.

Primeiro é importante dizer que o uso de anticoncepcionais em cadelas e gatas já foi considerado uma alternativa à castração, tanto que vários laboratórios investiram na produção deste tipo de produto. Então, não julgue o médico veterinário que, por acaso, já tenha recomendado um anticoncepcional para a sua pet. Faz parte da evolução da medicina veterinária e do avanço em pesquisas.

Cachorra prenhe sendo atendida pelo médico veterinário

Convenhamos que a ideia em oferecer um método que não às submetesse à castração parecia realmente interessante, porém as contraindicações trazidas pelos anticoncepcionais fizeram os médicos veterinários reavaliarem a prescrição de injeções e comprimidos que impedem a prenhez.

Riscos ao usar anticoncepcional em cadelas e gatas

Assim como o anticoncepcional humano, o medicamento na versão pet é carregado de hormônios que bloqueiam o cio das cachorras e gatas (fase do estro), no entanto, esses hormônios acabam aumentando a probabilidade do surgimento de algumas doenças que possuem forte influência hormonal, como o câncer de mama e a piometra (infecção uterina).

Isso sem falar naqueles casos em que a pessoa utiliza o produto por conta própria, sem orientação, na pet, muitas vezes causando casos de diabetes e acromegalia – crescimento anormal de algumas partes do corpo – problemas que podem ser resultantes de doses elevadas de hormônio.

“Sabe-se que os tumores de mama, envolvendo hiperplasia ou neoplasia mamária, são resultado de ação hormonal, logo, as fêmeas que utilizam esses fármacos possuem muito mais chances de desenvolver câncer de mama. Também são destacadas as possibilidades de desenvolvimento de alterações endócrinas, como aumento de peso, supressão adrenal, hiperglicemia e até diabetes mellitus”, diz João Andrade, médico veterinário da consultoria on-line exclusiva para os Assinantes Petlove.

Castração é caminho mais seguro

Se você não deseja que a sua cachorra ou gata tenha filhotes – e de quebra ainda ajudar a sua filha de quatro patas a prevenir uma série de doenças -, a castração é a opção a ser escolhida.

Acredite na palavra do médico veterinário: “A melhor maneira de prevenir tumores e demais doenças do aparelho reprodutor, além do controle de gestações e ninhadas indesejadas, é com certeza a castração. Dessa forma, o caminho é sempre conversar com um médico veterinário sobre o melhor momento para o procedimento cirúrgico”, explica Andrade.

Então, fique atento aos muitos boatos que existem sobre a castração. Lembre-se que tanto as gatas quanto as cadelas entram na vida reprodutiva muito cedo, portanto, não há tempo para postergar a decisão.

Confira aqui no Blog todos os cuidados necessários na pré e pós-castração de cadelas e gatinhas para você ficar por dentro do assunto e garantir ao máximo o bem-estar das suas peludinhas.

Compartilhe esta matéria!

Sobre o autor

Anderson Mafra

Jornalista apaixonado por animais, comunicação, música e que não perde um concurso cultural (na verdade já perdeu vários). Curioso de mão cheia, quer saber sempre mais e compartilhar conteúdo, dicas e curiosidades do mundo pet. É um petlover assumido, sem chance de reabilitação.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.