Shiba inu personalidade

O shiba inu se parece com uma raposa ou uma miniatura de akita. A raça criada no Japão no ano 1000 a.C. é uma das mais antigas do mundo, mas apesar de existirem exemplares no Brasil, não é muito popular por aqui. Selecionados para serem cães de caça de animais de pequenos porte, “shiba inu” significa cachorro pequeno e em território japonês é mais conhecido até mesmo do que o próprio akita (também de lá).

Extremamente independente, esse cachorro oriental não deixa que seu tamanho seja um problema: destemido e sempre alerta, ele se destaca também como um bom cachorro de guarda. Cheio de energia, ele é capaz de realizar diferentes tipos de atividades, mas não gosta de ser comandado. Embora seja relativamente obediente, ele não costuma ser bom com comandos e nem com pais humanos muito autoritários, que querem impor muitas regras em sua vida.

Alguns criadores da raça acreditam que eles tenham ligações genéticas com os chow chows, cães conhecidos por serem um tanto quanto temperamentais, algo que o shiba também é em alguns casos. Este cachorro não gosta de ser contrariado e não hesita em demonstrar insatisfação seja com quem for.

Apesar de gostar de conviver com seus humanos, ele se dá bem também quando sozinho. Por serem cães de caça, precisam de exercícios físicos todos os dias para que não fiquem entediados e irritadiços. Se acostumados com outros pets desde jovens, podem conviver em harmonia, mas não têm a necessidade de viver em grandes grupos. Seu jeito individualista pode ser um problema quando a família é grande demais.

Uma característica bem específica dos shibas inus é que eles não latem. Ao invés disso, emitem um som diferente, parecido com um uivo, quando querem vocalizar.

Sobre o autor

Jade Petronilho

Jade Petronilho

É jornalista por formação e comportamentalista veterinária por paixão. Desde criança é a "louca dos bichos", por isso resolveu estudar medicina veterinária, etologia e nutrição animal, mas ainda pretende, um dia, fazer zootecnia. Atualmente tem dois cachorros, dois gatos e 13 peixes, mas além de cães, gatos e peixes, também já foi tutora de um coelho, três periquitos, dois porcos da índia, dois pintinhos e três cabritos.

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.