Dicas de como criar um cachorro em apartamento

As nossas residências estão ficando cada vez menores e a tendência urbana é que diminuam ainda mais. Em alta no momento, os apartamentos do tipo estúdio ou loft aquecem o mercado imobiliário e mudam a forma como as pessoas pensam em um lar ideal. Com isso, nossos pets são atingidos diretamente e se pegam vivendo em espaços bem reduzidos.

Diferentemente do que era comum há algumas décadas, cachorros não vivem mais nos quintais e não servem apenas para guarda, assim como os gatos não são mais “usados” para caçar ratos e outros seres indesejados. Vivendo muito próximos de nós, eles sofrem com o impacto das nossas mudanças, por isso, quando vamos tomar uma decisão de vida, é tão importante levar em conta aqueles que nos cercam, os pets.

Como criar um cachorro em apartamento

É totalmente possível criar cachorros em apartamento. Muita gente tem dó de cães grandes em casas pequenas, porém tudo depende da maneira como essa situação será conduzida. Se você tem um cãozinho – seja ela minúsculo ou imenso -, ele nunca deve ficar fechado em casa, mesmo que você tenha um enorme quintal.

Cachorros são seres que adoram – e precisam socializar, bem como viver experiências diferentes e explorar seus instintos mais primitivos como farejar, por exemplo. Um cachorro que não sai de casa, perde sua essência como espécie e não há nada mais frustrante do que isso para um ser vivo.

Leve seu cachorro para passear

Conhecer as redondezas, ver pessoas e pets diferentes, além de gastar a energia com a caminhada são atividades importantíssimas para os cães. O ideal é que você saia com seu cachorro pelo menos duas vezes ao dia e que esse passeio não seja somente para o xixi e o cocô, mas pelo passeio em si e pelo momento que podem desfrutar juntos. Nessa hora, deixe o celular em casa, se mantenha atento ao seu cão e veja como ele se sente satisfeito com isso. O tempo de passeio deve variar principalmente de acordo com a idade do cão e as recomendações de seu médico veterinário.

Contrate uma pet sitter

Imagine ficar em casa, todos os dias, por pelo menos nove horas sozinho. Seria um verdadeiro tédio, não é mesmo? Contratar uma pet sitter pode ser uma boa opção, desde que você realmente saiba que a pessoa irá até a sua casa brincar com o pet, além de alimentá-lo. Peça para que interaja com ele por pelo menos 30 minutos, o estimulando de forma positiva, gastando sua energia e o tirando do ócio.

Contrate um passeador de cães

Passear durante o dia também pode ser uma ótima ideia mesmo que seu pet faça passeios quando você chega do trabalho. Como a maioria dos passeadores frequenta parques e trabalha com mais de um pet por vez, pode ser uma forma diferente de socialização e interação. Busque recomendações de conhecidos e opte por serviços reconhecidos no mercado pet.

Faça enriquecimento ambiental para seu pet

Deixar brinquedos resistentes disponíveis para o seu pet, esconder alimentos e utilizar objetos que o incentivem a “pensar para conseguir uma recompensa” são excelentes para cachorros que moram em apartamento. Enriquecimento ambiental tende a manter seu cachorro ocupado, longe do ócio, livre da ansiedade de separação e ainda o auxilia a gastar energia.

Eduque seu pet

Cachorros devidamente educados colaboram – e muito – para que seus donos não tenham surpresas desagradáveis. Ensinar ao seu cachorro o que ele pode ou não fazer dentro de casa é muito importante para uma boa convivência entre vocês, além de prevení-lo de acidentes graves (como ingestão de produtos de limpeza, plantas tóxicas e até pedaços de móveis e objetos).

Siga as boas práticas do condomínio

Fique atento às regras do seu condomínio e evite problemas com os vizinhos. Se seu cachorro late demais, veja nossas dicas de como amenizar o problema ou busque o auxílio de um educador canino. Leve sempre com você saquinhos coletores de cocô, não deixe seu pet solto no elevador e nem nas áreas comuns. Mantenha os ambientes limpos e evite multas e advertências desnecessárias.

Telas de proteção não são exagero

Algumas pessoas arriscam e não telam suas sacadas e janelas, mas isso deveria ser obrigatório para quem tem pets em apartamento. Os animais podem se assustar e pular do apartamento em situações de medo e pânico, assim como podem cair enquanto tentam pegar algum pássaro, inseto ou até mesmo brinquedo. Bastante cuidado nunca é demais!

Sobre o autor

Jade Petronilho

Jade Petronilho

É jornalista por formação e comportamentalista veterinária por paixão. Desde criança é a "louca dos bichos", por isso resolveu estudar medicina veterinária, etologia e nutrição animal, mas ainda pretende, um dia, fazer zootecnia. Atualmente tem dois cachorros, dois gatos e 13 peixes, mas além de cães, gatos e peixes, também já foi tutora de um coelho, três periquitos, dois porcos da índia, dois pintinhos e três cabritos.

2 Comentários

  • estou pretendendo morar num apartamento. Tenho duas cadelas uma de porte médio e uma pouco maior. Não quero me separar delas, mas estou apavorada quanto a higiene. Será se sair pela manhã e a noite é suficiente.

    • Olá, Maria! O ideal é criar uma rotina de modo que elas se acostumem a fazer as necessidades durante o passeio e com menos frequência dentro de casa. Como é uma mudança um tanto quanto grande para elas, o segredo principal é a paciência. Escolha um local do apartamento em que elas poderão usar de “banheiro” caso sintam necessidade e dê recompensas (carinho, petiscos ou palavras em tom amigável) quando acertarem o local. Um abraço!

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.