3 países mais catfriendly do mundo

Uma pesquisa realizada pela Euromonitor International em 2013 colocou o Brasil como o país vice-líder no número de cachorros per capita no mundo, ficando apenas atrás do México. Aqui, o cachorro é realmente o melhor amigo do homem. Mas em alguns países, são os gatos que assumem esse papel. Confira aqui os países mais catfriendly do mundo.

1 – Japão

Não precisa nem falar de animes como As Super Gatinhas e lembrar que o Japão é a terra da Hello Kitty para lembrar que esse país idolatra os bichanos. O país tem também diversos lugares e lendas que vê os miaus como seres sagrados e como se isso não fosse suficiente, eles têm até um dia no país. Dia 22 de fevereiro é o dia dos gatos no Japão, Neko-no-Hi.

Tá de bom tamanho para vocês para colocar o Japão no primeiro lugar dos países mais catfriendly do mundo? Não? E se eu disser que o país também tem ilhas dedicadas aos gatinhos? Isso mesmo. Ilhas. Treze, no total. A mais famosa, Aoshima é realmente conhecida como a Ilha dos Gatos. A proporção é de seis gatos para cada habitante.

2 – Bélgica

Durante o período medieval, os gatos eram muito maltratados na Bélgica. Bobos da corte atiravam os animais pela janela do campanário do Cloth Hall. Isso devido a crença de que gatos estavam ligados a bruxaria. No entanto, felizmente, isso ficou no passado. A prática foi banida em 1817 e hoje o país é apaixonado pelos felinos. Em comemoração ao banimento desses atos, a cidade de Ypres, no país, realiza de três em três anos o Kattenstoet, o Festival de Gatos, com o objetivo de celebrar a vida dos gatos e o fim dos maus tratos aos bichanos. A próxima edição acontecerá em 2018. Acho que esta festa garante ao país um lugares nos países mais catfriendly do mundo. Você discorda?

 

3 – Egito

No antigo egito, os gatos eram considerados sagrados. Os miaus eram venerados como deuses. A Deusa Bastet, inclusive, é uma deusa que tem corpo de humano e cabeça de gato. Mas por que os egípcios adoravam tantos os gatos? Existem diversas hipóteses e a mais aceita é a de que o país sofria muito com nada menos do que… ratos. Os roedores acabavam com as plantações e levavam uma série de doenças a população. Os gatos, que nunca foram domesticados, apareceram como salvadores. Apesar de isso acontecer no egito antigo, a adoração pelos felinos permanece até hoje.

Sobre o autor

Larissa Moreira

Larissa Moreira

Larissa tem quatro miaus: Câmara, Ação, Gravando e Clica Fora, está no quarto ano de jornalismo da Faculdade Cásper Líbero, é apaixonada pela língua alemã, livros de fantasia, chá de camomila e pelos seus quatro bebês (que já nem são mais bebês).

Deixe um comentário