Abissínio – Principais doenças

O Abissínio é uma raça de gato única, tanto pela sua aparência, quanto pelo seu temperamento. Com muita energia para gastar, esse gato é um verdadeiro atleta e precisa de estímulo e espaço o suficiente para brincar e se exercitar. Sua expectativa de vida é de 10 a 15 anos e ele tende a ser saudável, desde que seja bem cuidado.

Em relação à sua saúde, por não terem uma variação genética grande, os gatos de raça podem apresentar predisposição a doenças específicas, que muitas vezes estão ligadas ao seu material genético. Se você quer saber mais sobre as principais doenças que podem afetar o Abissínio, confira a seguir.

Problemas dentários

O Abissínio tem tendência a desenvolver problemas odontológicos com mais frequência do que outros gatos. A principal enfermidade que o afeta é a gengivite, uma inflamação na gengiva ocasionada por vários motivos, como falta de higiene, problemas imunológicos, placas bacterianas e até mesmo por alguns tipos de vírus. A doença periodontal também pode acometer a raça, sendo um quadro mais perigoso, pois pode atingir o tecido que sustenta o dente. Por isso, é muito importante que você acostume o Abissínio a escovar os dentes desde cedo para evitar esses problemas.

Deficiência de piruvato quinase

A deficiência de piruvato quinase é um distúrbio hereditário que em gatos costuma ser diagnosticado com a idade mais avançada. A enzima piruvato quinase é uma das responsáveis por gerar energia para as hemácias (células do sangue que transportam oxigênio). Quando há uma deficiência dessa enzima, as hemácias se tornam defeituosas, gerando um quadro de anemia no gato. Os principais sinais da doença são intolerância ao exercício, respiração ofegante, mucosas pálidas e emagrecimento. 

Atrofia progressiva da retina

A atrofia progressiva da retina é uma condição genética a qual o Abissínio é predisposto. Ela é causada por uma degeneração dos fotorreceptores do olho (neurônios que são responsáveis pela formação da imagem). A doença não tem cura e, infelizmente, o quadro pode progredir até a cegueira total do pet. No começo é difícil perceber os sinais do problema, mas à medida que evolui, você nota o gato com dificuldade para enxergar no escuro e geralmente com a perda parcial da visão.

Luxação patelar

A patela é um osso que fica no joelho do pet e auxilia na flexão e movimentação. A luxação patelar é uma condição genética que afeta o Abissínio, caracterizada por uma movimentação anormal desse osso, seja para os lados ou para cima. Dá para imaginar que esse problema causa bastante dor no pet e ainda dificulta que o gato suba nos móveis e em lugares altos, algo que eles amam fazer. 

Amiloidose renal

A amiloidose renal é uma doença caracterizada pelo acúmulo da proteína amilóide nos rins, o que pode desencadear uma insuficiência renal no gato. O Abissínio é predisposto devido a algumas alterações genéticas, em seus cromossomos. Os gatos são diagnosticados geralmente com os seis anos de idade, muitas vezes quando a doença renal crônica já está presente. As principais alterações apresentadas pelo felino são volume excessivo de urina, vômito, anorexia, dificuldade respiratória, entre outros. 

As doenças citadas aqui são provenientes de estudos e artigos de predisposição de certas doenças em raças. Lembrando que seu Abissínio pode viver uma vida saudável sem ser acometido por nenhuma enfermidade. Entretanto, a informação e conhecimento são importantes e a qualquer sinal de que algo está errado com seu peludo, procure um médico veterinário.

Sobre o autor

Beatriz Mario

Beatriz Mario

Estudante de Medicina Veterinária, sonho que tenho desde criança, cresci com gatos e hoje sou uma felícia assumida. Tenho dois felinos resgatados: o Frodo e o Bilbo, que são considerados meus filhos de pelo. Meu propósito de vida é ajudar o máximo de pets possíveis e fazer com que eles fiquem mais felizes e saudáveis escrevendo para o blog da Petlove.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.