Aleitamento artificial em filhotes

Aleitamento artificial em filhotes - Petlove - O Maior Petshop Online do Brasil

Aleitamento Artificial em Filhotes.

A alimentação artificial de filhotes pode ocorrer quando o número de animais é muito grande e a cadela não consegue ter leite para todos, quando a mãe tem alguma doença ou deficiência nutricional que a impede de amamentar ou ainda quando vem a óbito durante o parto. Fazer com que sejam os filhotinhos nutridos adequadamente, sem a ajuda da mãe, não é uma das tarefas mais fáceis. Os bichinhos precisam receber o alimento a cada duas horas, ou menos, (nos três primeiros dias deve ser dado a cada meia hora) e em pequenas quantidades, pois seu estômago não é grande, o que faz com que a tarefa seja cansativa e requeira muita dedicação e carinho do dono.

Há diversos tipos de leite artificial disponíveis no mercado pet, para que possam ser administrados aos recém-nascidos. Caso não haja o produto disponível no local onde a pessoa mora, pode-se fazer uma receita caseira que servirá como substituto ao leite materno. Deve-se misturar uma gema de ovo, uma colher de sopa de creme de leite, 1,5 g de calcário calcítico e em torno de 25 gramas de vitaminas e suplementos alimentares para filhotes da espécie em questão. A essa mistura, adicionar 150 ml de leite (preferencialmente isento de lactose) e misturar muito bem, até a solução focar homogênea.

O leite deve ser dado morno, através das mamadeiras para cães apropriadas, feitas especialmente para filhotes de animais (elas têm o bico menor, facilitando a mamada), ou através de uma seringa, manuseada com muito cuidado e delicadeza, de maneira que não libere muito leite na boca do pet de uma só vez. O bichinho jamais deve estar de barriga para cima, na hora de ser alimentado, pois corre o risco de aspirar o leite, tendo uma pneumonia ou, até mesmo, sufocando-se e morrendo. A seringa ou a mamadeira devem ser mantidas acima da cabecinha dele e as patinhas precisam estar apoiadas, na mão da pessoa ou no chão.

Sempre a preferência é pelo leite materno, que possui todas as vitaminas, proteínas e nutrientes que o filhote precisa. O uso de um alimento substituto só deve ser feito em casos extremos, nos quais não haja alternativa. O equilíbrio nutricional do produto que for administrado é essencial para que consiga o filhote sobreviver e crescer, garantindo a saúde do animal. Com 20 dias de vida, a papinha apropriada para a espécie pode começar a ser disponibilizada, mas deve ainda ser acompanhada da mamadeira.

Sobre o autor

Bruno Oliveira

Deixe um comentário