Borzoi – Principais doenças

O Borzoi é considerado um dos cachorros mais altos do mundo. Por muitos anos essa raça foi criada para participar de corridas e caçar, sendo um velocista de primeira, por isso precisa de exercícios diários. O ideal é que ele possa correr em áreas planas e seguras para gastar toda sua energia. Em relação à saúde, o Borzoi é bastante resistente, mas isso não quer dizer que ele está livre de doenças genéticas e/ ou hereditárias.

Com expectativa de vida de sete a 10 anos, o Borzoi é geralmente saudável, mas algumas condições podem afetá-lo, como a síndrome de wobbler, hipotiroidismo, linfedema primário, e torção gástrica. Confira um pouco mais sobre as principais doenças que podem afetar a raça a seguir.

Síndrome de wobbler (espondilomielopatia cervical)

A Espondilopatia Cervical é uma doença neurológica de origem genética que pode causar danos permanentes no pet. A condição leva a um estreitamento do canal vertebral e, por consequência, a compressão da medula espinhal cervical. Um dos fatores que contribui para o desenvolvimento da síndrome é o crescimento acelerado dos cães de porte grande, que pode acabar em uma má formação óssea. Os principais sinais da espondilomielopatia são a dificuldade para se locomover, postura cabisbaixa e falta de coordenação motora.

Hipotiroidismo

O Hipotiroidismo é uma doença genética e endócrina causada pela baixa produção de hormônios da tireóide, uma glândula responsável por secretar essas substâncias importantes para o metabolismo. Os sinais clínicos são diversos como ganho de peso, falta de disposição para o exercício físico e intolerância ao frio. Sabe-se que o Borzoi possui uma predisposição para o desenvolvimento da condição.

Linfedema primário

O Linfedema ou edema linfático é um acúmulo de líquido em diversas partes do corpo do pet devido a uma falha na drenagem linfática (sistema responsável recolher e filtrar líquidos). A doença pode afetar o Borzoi de forma hereditária, ou seja, passa de pais para filhos e desde filhote já podemos observar o problema. Os principais sinais são aumento de volume nos membros ou no corpo, manqueira e rigidez no local inchado.

Torção gástrica

Os Borzois são mais predispostos a ter um inchaço estomacal, condição na qual o estômago se expande por conta de gases. Esse inchaço pode levar a uma torção gástrica, um problema sério e perigoso no qual o estômago se contorce, podendo interromper o fluxo sanguíneo local. A condição costuma afetar raças grandes, que se alimentam muito rápido ou bebem um volume muito grande de água e logo após praticam exercício físico. Os principais sinais são inquietação, babar, lambedura dos lábios, gengivas pálidas, sinais de dor e tentativa de vomitar. Para evitar a torção gástrica, é muito importante que você não deixe seu pet correr ou se exercitar depois de comer. 

Outras doenças que podem afetar o Borzoi:

As doenças citadas são provenientes de estudos e artigos de predisposição de certas doenças em raças. Lembrando que seu Borzoi pode levar uma vida saudável sem ser acometido por nenhuma patologia. Entretanto, a informação e conhecimento são importantes e a qualquer sinal de anomalia com seu peludo, procure um médico veterinário.

Na Petlove, profissionais da medicina veterinária trabalham em conjunto para disponibilizar um portal sobre as principais doenças em cães e gatos, você pode conferir aqui.

Sobre o autor

Beatriz Mario

Beatriz Mario

Graduanda em Medicina Veterinária, sonho que tenho desde de criança, hoje sou conhecida como a louca dos gatos, mas nas horas vagas sou a louca dos bichos também, sem distinção. Tenho 10 lindos gatinhos resgatados e meu propósito é poder ajudar o máximo de pets possível (E seus pais e mães humanos escrevendo aqui no blog).

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.