Cachorro com ansiedade de separação depois da quarentena

A gente sabe que ainda não há uma data para podermos circular pelas ruas e encontrar nossos amigos e colegas com segurança. Mas só pelo fato de vermos as primeiras aplicações da vacina contra a COVID-19, já vislumbramos retomar boa parte da rotina pré-pandemia em breve.

Quem tem um cachorro em casa precisa estar ciente que o fim do isolamento social pode representar um problema para o pet, principalmente para aqueles que são muito apegados a alguém da família ou têm dificuldade em lidar com os momentos de solidão.

Cachorro-na-janela-Petlove

E mesmo que o seu cão não tenha histórico de mau comportamento devido à falta de companhia, é bom se precaver, afinal, a rotina do seu pet também mudou drasticamente do último ano para cá – com a família toda em casa – e pode ser bem difícil para ele ter que lidar com a casa vazia no futuro.

Ansiedade de separação

Aqui no Blog da Petlove nós falamos como a quarentena afetou a vida de cães e gatos. Agora, o nosso alerta é para prevenir a ansiedade de separação canina. E antes de irmos para as dicas, é importante lembrar: todo pai ou mãe de pet precisa evitar ao máximo os períodos mais longos de solidão dos bichinhos, pois isso interfere diretamente no bem estar deles.

O cão, por exemplo, além de ficar triste e possivelmente apresentar comportamentos indesejados, como destruir objetos, latir ou chorar constantemente, fazer as necessidades pela casa ou até autoflagelar, há ainda o risco do cachorro ter a saúde mental cada vez mais abalada. Sem esquecer do risco de não haver socorro imediato, caso venha ocorrer algum mal súbito. 

Como ficar menos tempo em casa é uma situação iminente, não deixe a adaptação de rotina do seu cachorro para a última hora. Desde já, acostume o cão a lidar com a sua ausência para tornar a transição mais fácil.

Dicas do que começar a fazer

  • Pratique o “desgrude”: seu cachorro é sua sombra? Então, pense no que pode fazer com que ele fique mais tempo nos ambientes em que você não está. Por exemplo, deixe o cão se divertindo com um brinquedo que ele ama na sala e vá trabalhar em um cômodo da casa com a porta fechada. Ofereça novidades! Uma caminha nova e mais confortável, um tapete gelado (que ainda vai ajudá-lo a suportar melhor o calor) e brinquedos que fazem o pet “caçar” o alimento ajudam bastante na missão.
  • Menos contato físico: infelizmente, o carinho a todo momento de hoje não será possível no futuro e o pior é que seu cachorro nem sabe disso, logo, a mudança repentina tem tudo para ser um choque para ele. Comece a diminuir as sessões de afagos e não fique chamando o cachorro a todo hora. É difícil, eu sei, mas pense que você está prezando pelo bem-estar do seu pet.
  • Crie uma nova rotina: não espere a vacina chegar para mudar a rotina dentro de casa. Pense em qual será a sua rotina após a imunização e faça adaptações na sua desde já. Exemplo: se os passeios com o seu cachorro serão noturnos com a volta ao escritório, então passe a dar uma volta com ele somente nesses períodos e o acostume a não criar expectativas de ir para a rua quando o sol ainda estiver aparecendo na janela. 
  • Pratique as saidinhas: começar a deixar o pet sozinho também é importante. Mesmo que você não possa sair de casa, simule que está de saída e permaneça fora do campo de visão (e sonoro) do seu cão. Nada de despedidas ou avisos, apenas saia e mesmo que o cachorro lata, uive ou chore, não volte, pois isso só vai jogar contra o processo de adaptação. Comece com intervalos de cinco minutos e vá aumentando o tempo gradativamente. Importante! Ao retornar, nada de agrados ou elogios, espere a euforia do cachorro ir embora completamente para dar atenção novamente. É dessa maneira que ele aprende que você nem sempre estará ao lado dele, e tudo bem.

Viu só quanta lição de casa você já tem? Lembre-se que o bem-estar físico e mental do seu cachorro depende de uma rotina saudável e precisamos nos antecipar ao nosso “futuro dia a dia” que está por vir

Então, capriche no processo de adaptação, peça sempre ajuda de um médico veterinário e quando precisar se ausentar por longos períodos, solicite os serviços de hospedagem ou creche, assim o seu filho de quatro patas fica mais seguro e feliz!

Sobre o autor

Anderson Mafra

Anderson Mafra

Jornalista apaixonado por animais, comunicação, música e não perde um concurso cultural (na verdade já perdeu vários). Curioso de mão cheia, quer saber sempre mais e compartilhar conteúdo, dicas e curiosidades do mundo pet. É um petlover assumido, sem chance de reabilitação.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.