Cane Corso Italiano – Principais doenças

Como a maioria dos cães de grande porte, o Cane Corso Italiano é capaz de causar medo à primeira vista, mas o seu comportamento e apego ao seus pais humanos demonstram que ele é um cão super carinhoso e protetor. Podendo pesar até 50Kg, ele definitivamente não tem noção disso e vai te pedir sempre colo e carinho. De origem italiana, como o próprio nome diz, ele foi primordialmente usado como cão de caça e guarda devido ao seu tamanho e musculatura. Considerada por muitos como companheiro dos antigos Romanos, a raça quase foi extinta e hoje é uma raridade no seu próprio país de origem. 

Em geral, o Cane Corso Italiano é um cão bastante resistente, porém, a maioria de cães do seu porte sempre apresenta certa predisposição às doenças ósseas devido ao seu peso ou a seu ritmo de crescimento e doenças de cunho genético. Confira as principais a seguir.

Prolapso da glândula da terceira pálpebra

Conhecida também como Cherry Eyes (“Olhos de Cereja”), o Prolapso da glândula da terceira pálpebra preocupa muitos pais de pets devido ao seu nome, porém não é uma doença tão severa assim. Dentro do sistema lacrimal, os cães possuem uma glândula muito importante chamada “glândula da terceira pálpebra”, cuja função consiste em fornecer até 70% das lágrimas dos pets. Ou seja, a condição nada mais é que a projeção dessa glândula para o meio externo dos olhos. 

As causas para o aparecimento do prolapso podem ser ligadas a vários fatores, mas principalmente herança genética, flacidez dos tecidos em volta da glândula e agentes irritantes, como o cão coçar o olho e arranhar. 

Além do Cane Corso Italiano, raças como Bulldog Francês, Pug, Boxer e Sharpei têm predisposição em desenvolver a doença.

O sinal principal da doença é o aparecimento de uma “bolinha rosa ou vermelha” no canto do olho e o tratamento é feito por intervenção cirúrgica realizada por médicos veterinários especializados na área, pois o olho é uma região delicada e requer bastante cuidado. O prognóstico da doença é bom e o cão poderá viver uma vida normal após a cirurgia, esquecendo até que um dia isso tenha acontecido.

Displasia Coxofemoral

Assim como muitos cães de porte grande, o Cane Corso também pode ser acometido com a tão temida Displasia Coxofemoral. 

A displasia coxofemoral é uma condição esquelética muito comum que é causada por uma má formação da articulação do quadril. O cão passa a ter dificuldade para realizar movimentos básicos como caminhar, correr, levantar e até sentar, passando a se sentar de lado por conta da dor.

Além do Cane Corso Italiano, a displasia também costuma ocorrer em raças como Pastor Alemão, Labrador Retriever e Dogue Alemão.

Embora seja uma doença hereditária, ela também pode ser agravada de acordo com o ambiente em que o pet vive. Alguns fatores que pioram essa condição são: pisos lisos, obesidade e exercício em excesso. O raio-X é a maneira mais efetiva de diagnosticar o problema.

Atualmente, a prática de fisioterapia em cachorros e gatos é muito comum, proporcionando uma reabilitação mais favorável aos pets que forem acometidos com a doença.

Torção Gástrica

A Dilatação vólvulo gástrica, como é conhecida cientificamente, acontece quando o estômago aumenta de tamanho e gira na cavidade abdominal. Com isso, a entrada e a saída do estômago ficam obstruídas, impedindo a passagem de alimentos, água e dos gases. 

A torção gástrica é grave e atinge principalmente os cães de grande porte. Além do Cane Corso Italiano, raças como Dogue Alemão Setter, Labrador, Rottweiler e São Bernardo têm chances de serem acometidas com o problema.

A doença pode ser resultado de uma alimentação incorreta, exagerada ou ainda por cães que comemmuito rápido e logo em seguida praticam exercícios físicos intensos.

Quanto mais rápido o pet for levado ao médico veterinário, mais chances de estabilização e recuperação ele tem.

Logo, alguns cuidados como não deixar que o cachorro faça exercícios após se alimentar, evitar situações estressantes e não oferecer o alimento de uma só vez ao dia, ajuda a evitar a torção gástrica.

Sobre o autor

Beatriz Mario

Beatriz Mario

Graduanda em Medicina Veterinária, sonho que tenho desde de criança, hoje sou conhecida como a louca dos gatos, mas nas horas vagas sou a louca dos bichos também, sem distinção. Tenho 10 lindos gatinhos resgatados e meu propósito é poder ajudar o máximo de pets possível (E seus pais e mães humanos escrevendo aqui no blog).

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.