Cinco motivos para adotar um gato adulto

Quando pensamos em adotar um gato, surgem várias questões. É comum que perguntas sobre idade, raça e procedência do pet apareçam durante a “busca”. No Brasil, os felinos de abrigos possuem uma vantagem, já que aqui gatinhos SRDs são bem mais populares do que os de raça. Mas mesmo assim, filhotes mais claros e de olhos verdes ou azuis são mais procurados.

Com isso, gatos pretos, manchadas (estilo “escama de tartaruga”) e adultos ficam para trás, comumente passando a vida toda em abrigos ou lares temporários. É bem verdade que quando comparamos um filhote de cachorro e um de gato, o segundo costuma dar bem menos trabalho do que o primeiro, mas já pensou nas várias vantagens em adotar um gato adulto? Confira:

  1. Você conhece a “personalidade” do gato

Um gato adulto é mais previsível do que um filhote e seu comportamento dificilmente irá mudar. Quando você percebe um gato mais simpático e outro mais tímido ou medroso, é sinal de que eles aprenderam a ser assim ao longo do tempo. E provavelmente permanecerão desta maneira pelo menos por algum tempo.

  1. O gato adulto tende a ser mais calmo

Filhotes são afoitos e curiosos. É comum que ao levar um gatinho para casa, ele faça alguns estragos enquanto não aprende o que é certo ou errado. Um adulto, por sua vez, dificilmente terá esse instinto destruidor, tomando cuidado por onde anda (e como anda).

  1. Gatos adultos são bem higiênicos

Gatos não costumam ter muita dificuldade para aprender questões sobre higiene, mas os adultos são bem mais “metódicos” neste sentido. Eles passam horas fazendo a higiene íntima e são bem tranquilos para usar a caixa de areia.

  1. Eles costumam vir socializados

Gatos adultos que passaram boa parte da vida em abrigos ou lares temporários, em maioria, se dão muito bem com outros animais e já chegam à sua casa acostumados com essa “vida em grupo”. Isso, porém, não faz com que não devam passar por um processo de socialização no novo lar. Se você tem outros pets, faça apresentações controladas e de forma gradativa.

  1. Todos merecem uma chance

Como todos sabem, os animais mais velhos (mesmo que nem sejam assim tão velhos) têm chances reduzidas de serem adotados. Passados os seis meses de idade, é comum que vão sendo deixados de lado e acabem passando anos sem ter um lar definitivo. Ajudar um pet faz com que não somente a vida dele ganhe uma nova perspectiva, mas a sua também.

Sobre o autor

Jade Petronilho

Jade Petronilho

É jornalista por formação e comportamentalista veterinária por paixão. Desde criança é a "louca dos bichos", por isso resolveu estudar medicina veterinária, etologia e nutrição animal, mas ainda pretende, um dia, fazer zootecnia. Atualmente tem três cachorros, dois gatos e 13 peixes, mas além de cães, gatos e peixes, também já foi tutora de um coelho, três periquitos, dois porcos da índia, dois pintinhos e três cabritos.

1 Comentário

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.