Clostridioses

As clostridioses são um grupo especial de doenças causadas por bactérias do gênero Clostridium. Estas bactérias são bastonetes gram positivos (absorvem, em sua parede celular, todos os corantes utilizados para permitir visualização em microscópio ótico) e anaeróbios (não precisam de oxigênio para sobreviver). Atualmente, esse grupo bacteriano tem sido muito estudado de diversas formas, desde as maneiras que conseguem causar infecção até a possibilidades de uso para redução e tratamento de processos cancerígenos.

Clostridioses - Petlove - O Maior Petshop Online do Brasil

Clostridioses.

Podem ser classificadas também em função do tipo de doença que conseguem causar: neurotrópicas, enterotóxicas, histotóxicas ou hepatotóxicas. As neurotrópicas são as causadoras de doenças como o tétano e o botulismo, que perturbam a função neurológica e causam a morte. As enterotóxicas causam enterites, isto é, inflamações da mucosa intestinal. A histotóxica causa infecção dentro dos tecidos, geralmente acometendo os animais de grande porte, porém podem atingir animais de estimação e possuem curso rápido, podendo levar à morte do animal em poucas horas. As hepatotóxicas causam infecções bem específicas, como a hemoglobinúria bacilar dos ovinos.

Os cãezinhos normalmente são acometidos pelas enterites, que causam fortes diarreias, tornando necessário o uso de sanitário para cães com granulado sanitário para auxiliar na limpeza. Os principais agentes etiológicos causadores desse problema são o  Clostridium perfringens e o Clostridium  difficile, que agem nas células que compõem a mucosa do intestino, destruindo-a com toxinas potentes que podem ser absorvidas pelo organismo e podem causar a morte do pet.

Essas enterites podem estar associadas com outros microrganismos, como vírus entéricos (rotavírus e coronavírus), giárdia e verminoses em geral. Por isso, é importante um diagnóstico correto para um tratamento efetivo. As clostridioses podem ser diagnosticadas laboratorialmente por cultura microbiológica, identificação bioquímica e imunofluorescência, que são métodos preconizados pela Organização Mundial de Saúde Animal (antiga Organização Internacional de Epizootias), mas outras técnicas têm sido utilizadas com sucesso, como imunohistoquímica e reações de biologia molecular.

O tratamento, em geral, consiste em antibioticoterapia e terapia de suporte, como hidratação parenteral ou vitaminas. Porém, com o diagnóstico do agente etiológico, tem-se uma terapia extremamente direcionada, com um ou mais princípios ativos corretos e, sem gastos excessivos com substâncias terapêuticas, como os antibióticos de largo espectro, que causam problemas de resistência bacteriana. Consequentemente, aumentam-se as chances de recuperação, bem como se preserva os animais que, no futuro, podem vir a precisar desse tratamento e poderão, na ocasião, ter acesso às substâncias necessárias com os resultados desejados.

Sobre o autor

Bruno Oliveira

2 Comentários

  • Estou com um novilho de 15 mês com sintomas de clostridiose há 2 dias acamado, mas está comendo e bebendo normalmente. Ontem apliquei um. azio e hoje 15ml de terramicina. O novilho está com bom aspecto., o que fazer?

  • Conheço uma cachorra que tem diarreia e fez todos os exames possiveis e deu giárdia. Fez tratamento mas até agora nada.
    O que se pode fazer?

Deixe um comentário