Como calcular a idade de um gato?

Apesar da maioria das pessoas acreditar que o cálculo da “idade humana” dos pets seja apenas multiplicar os anos do gato ou cachorro por sete, saber o número que corresponde à idade fisiológica dos nossos animais de estimação é um pouco mais complexo do que isso.

Gatos se desenvolvem muito rápido

Verdade é que o metabolismo (e consequentemente o desenvolvimento) dos nossos animais de estimação é muito mais veloz do que o nosso.

Para termos uma ideia mais concreta sobre isso, basta pensarmos em um humano de um ano de idade (que depende completamente de seus pais) e um gatinho de um ano de idade – que já é considerado um adulto, estando, inclusive, maduro sexualmente.

Essa rapidez, porém, é o que faz com que vivam muito menos do que nós, envelhecendo e atingindo a “terceira idade” por volta de seus oito anos (quando estima-se que teriam, mais ou menos, em idade humana, 50 anos de idade).

Como calcular a idade de um gato?

Diferentemente dos cálculos estabelecidos para cachorros, os cálculos de idade dos gatos seria o seguinte: contar 15 anos para o primeiro ano de vida do peludo, 10 para o segundo ano e, posteriormente, adicionar quatro anos a cada ano passado.

Gato mais velho do mundo

O gato mais velho do mundo vivo atualmente é Rubble, que tem 30 anos. Ele ainda perde pro recordista de senilidade no mundo dos felinos domésticos, que viveu 38 anos e três dias.

O que fazer para um gato viver mais

Comprovadamente, gatos castrados e que não tenham vida livre (acesso à rua) vivem muito mais do que aqueles que procriam e podem sair quando bem entenderem.  Isso, porque, gatos que buscam por parceiros estão bem mais sujeito a atropelamentos, brigas com outros gatos (resultando não somente em ferimentos e aquisição de doenças, mas também em morte) e maus-tratos (é comum que pessoas que não gostam de gatos os agridam nas ruas especialmente quando estão em período de acasalamento, quando invadem casas e fazem bastante barulho por aí).

Manter seu gatinho dentro de casa, fazer check-ups rotineiros com um médico veterinário de sua confiança e lhe oferecer alimentos de qualidade são os ingredientes essenciais para a longevidade dos bichanos.

Sobre o autor

Jade Petronilho

Jade Petronilho

É jornalista por formação e comportamentalista veterinária por paixão. Desde criança é a "louca dos bichos", por isso resolveu estudar medicina veterinária, etologia e nutrição animal, mas ainda pretende, um dia, fazer zootecnia. Atualmente tem três cachorros, dois gatos e 13 peixes, mas além de cães, gatos e peixes, também já foi tutora de um coelho, três periquitos, dois porcos da índia, dois pintinhos e três cabritos.

1 Comentário

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.