Como educar um cachorro para não ser medroso

A gente vive falando sobre a importância da socialização aqui no Blog porque realmente uma educação bem feita é capaz de proporcionar maravilhas ao seu pet. No caso dos cachorros, uma socialização rica pode fazer com que os peludinhos cresçam mais confiantes e mais corajosos. Tem um cachorro medroso? Confira nossas dicas.

Só quem já conviveu com um cachorro muito medroso sabe o quanto é ruim ver o bichinho ficar desesperado com a aproximação de qualquer pessoa/ animal ou se assustar com os ruídos mais comuns do dia a dia. O cachorro treme, lambe os lábios repetidamente, procura se esconder e, às vezes, até não controla o xixi de tanto pavor. Outros acabam querendo se defender e, para isso, se mostram agressivos, rosnando, mostrando os dentes e até mordendo.

Cachorro-medo-Petlove

Para evitar que o seu filho de quatro patas passe por esse tipo de situação e consiga entender melhor quando realmente está em perigo, é necessário apostar numa boa educação. Confira as nossas dicas!

Não perca tempo

Como você sabe, é na primeira fase da vida que o cachorro molda o seu temperamento e aprende lições que podem definir a maneira como ele irá se comportar no futuro. Mas, como os cães amadurecem rápido e se tornam adultos, em média, no seu primeiro aniversário, não há tempo a se perder.

Se ele ainda não puder dar voltinhas na rua ou estar na companhia de outros pets porque não tomou as devidas vacinas, ou porque o médico veterinário ainda não liberou, comece os ensinamentos dentro casa

Por exemplo, passe a fazer alguns barulhos (TV ou rádio em um volume mais alto, bater panelas) para acostumar o bichinho a lidar com o incômodo sonoro e deixe-o sozinho em pequenos intervalos durante o dia para não sofrer toda vez que você não estiver. Aja normalmente enquanto os estímulos sonoros acontecem e evite dar tchau ou fazer muita festa quando chegar em casa.

Outras sugestões são fazer carinho e manipular a boca do peludinho para dessensibilizá-lo, deixar o cachorro ver a movimentação da rua pela janela da sala e a sentir o odor de pessoas (peças de roupas e calçados) fora do círculo familiar.

Aposte na variedade

Quanto mais o seu cachorro for acostumado a vivenciar situações diferentes, melhor ele se desenvolve e menos medroso ele tenderá a ser. Então, assim que ele estiver liberado para fazer passeios, leve o seu cão para conhecer diferente cenários, pessoas e outros animais.

Locais considerados pet friendly são ótimos para enriquecer a experiência e facilitar o processo de aprendizado do seu filho de quatro patas. Frequentar padarias, restaurantes, hotéis e outras opções de lazer, como parques e hospedagem para cachorros, ajudam o seu pet a se desenvolver mais feliz e também sem traumas.

Atenção aos agrados

Durante o aprendizado, é normal que o cachorro demonstre medo em algumas ocasiões, principalmente quando um animal maior estiver por perto. Caso perceba que o bichinho está apavorado (esconde a cauda, chora, late ou lambe os lábios sem parar), não faça carinhos ou mimos, pois isso pode servir como um reforço para aquele comportamento medroso

Afaste-o do que está gerando o medo excessivo, mude o foco e tente uma nova aproximação um outro dia. Insistir na situação também não é um bom caminho e pode gerar traumas profundos. Quando ele se mostrar um pouco receoso, mas não com medo excessivo, o encoraje: incentive que ele se aproxime e ofereça carinho e petiscos, se necessário.

Ajuda profissional

Atualmente é muito mais fácil encontrar ajuda especializada para educar os cachorros a serem mais sociáveis e corajosos. Por isso, não hesite em pedir ajuda se quiser caprichar no desenvolvimento do seu filhote ou estiver com dificuldades em contribuir com o bem-estar do seu cachorro que já é adulto ou velhinho. A boa notícia é que dá pra amenizar ou tratar o medo excessivo dos cães em qualquer idade, mas é preciso paciência e dedicação.

Compartilhe esta matéria!

Sobre o autor

Anderson Mafra

Jornalista apaixonado por animais, comunicação, música e que não perde um concurso cultural (na verdade já perdeu vários). Curioso de mão cheia, quer saber sempre mais e compartilhar conteúdo, dicas e curiosidades do mundo pet. É um petlover assumido, sem chance de reabilitação.

1 Comentário

  • Que artigo legal!

    Realmente a socialização é um fator muito importante para o comportamento do cachorro pra vida toda.

    Para quem tem um cachorro filhote: não deixe de fazer o melhor trabalho de socialização possível, é muito importante. Quando o cachorro cresce, o medo fica mais “enraizado” e fica mais difícil de fazer o proceeso de socialização.

    Abraços!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.