Cadastre-se e ganhe 10% OFF na primeira compra!

Como lidar com cachorro com medo de outros cachorros

Cachorros são animais sociais. Oferecer situações para que eles interajam com outros cães é mais que importante, é necessário. Mas o que fazer com um cachorro com medo de outros cachorros?

A socialização dos cães acontece primariamente até os quatro meses de vida. É até essa fase que os cães entenderão como é o Mundo e irão associar diversas situações, pessoas e objetos a algo positivo ou negativo. Se positivo, ele gostará de interagir e se aproximar. Se for negativo, ele terá receio, medo e se afastará.

Sabe aqueles cachorros que não gostam de uma certa raça? Isso pode ser por alguma situação que ele passou, dentro ou após esse período de socialização. Mesmo as experiências vividas após o quarto mês de vida podem gerar memórias positivas e negativas.

Mesmo que um cachorro tenha sido atacado, é possível fazer uma nova socialização para que ele volte a gostar da convivência com cães. A grande questão é como fazer.

Como lidar com cachorro com medo de outros cachorros

Os maiores erros na hora de aproximar cachorros

Antes de explicar o jeito certo de aproximar, vou apontar os maiores erros cometidos por tutores ou até profissionais.

  1. Colocar ambos na coleira e ir aproximando. Estar na guia faz com que o cachorro não tenha muita opção de fuga. Dessa forma, se ele estiver com medo, a única saída pode ser o ataque. E ninguém gosta de ser obrigado a lidar com algo que lhe causa desconforto, né?!
  2. Soltar vários cachorros juntos e deixar ver o que acontece. Pode ser que dê certo? Pode. Mas também pode dar muito errado e piorar ainda mais o medo do cachorro.
  3. Dar um brinquedo para dois ou mais cachorros brincarem. A disputa por um brinquedo e a animação de um dos cães com o brinquedo podem gerar ainda mais medo.
  4. Abaixar para que os cachorros venham e se cheirem. Quando nos agachamos, automaticamente os cães se aproximam. Mas assim como pode acontecer com o brinquedo, a nossa atenção também pode gerar o comportamento de euforia e até mesmo disputa.
  5. Dar petisco com os cachorros soltos. O petisco é uma ótima ferramenta de recompensa. Porém, só funciona se você tem controle ou previsibilidade da reação de cada cachorro. Do contrário, pode ser um gatilho de briga ou disputa.
  6. Colocar um cachorro para cheirar o outro. Esse é o pior de todos. É aquela situação da criança na casa da tia chata, com mau hálito que a mãe obriga a dar um beijo e um abraço. Não force o cachorro a fazer algo que é desconfortável para ele. Só vai piorar.

Como aproximar dois cachorros?

Depois de um monte de erro, vamos ao que é certo.

  1. Leve o cachorro medroso a uma praça cercada em horários alternativos. Assim, o cheiro dos cães estará lá, mas não haverá seres peludos saltitantes pelo espaço.
  2. Frequente essa praça por alguns dias e comece a associar o local a um brinquedo muito bacana ou uma caça ou tesouro com petiscos.
  3. Convide um cachorro super hiper ultra mega bonzinho. Sabe aquele cachorro que ignora a presença do outro cachorro? Esse é o ideal. Leve os dois nessa praça cercada, mas que cada um fique em uma extremidade, sem se aproximarem. 
  4. Em um outro dia, leve os dois cães de novo e, à medida que ambos estiverem confortáveis, comece a caminhar pela praça. Se eles quiserem se cheirar, pode deixar. Mas sem que isso seja uma obrigação.
  5. Repita o passo quatro por vários dias. Quando eles já estiverem amigos, adicione um novo cachorro. Mas não pode ser aquele loucão da pracinha, ligado nos 220v. Tem que ser um calminho também, que chegue aos poucos.
  6. Se nada disso for possível, podemos separar os cães por um portão e ir associando a presença do outro a coisas positivas, como petiscos, mordedores e até tapete de lamber ou brinquedo recheado.
  7. Fazer passeios, cada cachorro com uma pessoa diferente, também pode ser uma opção, se não houver ansiedade ou reatividade na guia.

Fazer a interação de dois cachorros, quando um deles tem medo, não é uma tarefa fácil, muito menos rápida. Qualquer erro pode fazer com que demos muitos passos para trás. São poucos os bons “professores caninos”. Aqueles cachorros que conseguem ler e respeitar o medo e o espaço do outro.

Em todos os casos, estava pensando em cachorro medroso. Se for um cachorro reativo com outros cães, aí o buraco é bem mais embaixo. Nesse caso, o ideal é pedir auxílio de um profissional que trabalhe com esse tipo de comportamento.

Para prevenir que seu cachorro desenvolva medo de interagir com outros cães, leve-o sempre em espaços controlados e cercados para brincar. Se, por acaso, ele ficar com medo, chame-o para um local com menos cães e retire-o no espaço.

Aurora, a cachorra medrosa

Eu tenho uma cachorrinha super medrosa. Hoje, ela já aprendeu a interagir timidamente com cães calmos. Eu ensinei que ela pode fugir, caso se sinta desconfortável na interação com outro cão. Foram anos de socialização e treino. Com a pandemia, não fiz mais interações e ela regrediu muito. Mas chega de desculpas agora! Simbora para trilhas, praças, cachorródromos e locais seguros para soltar os cães!

Compartilhe esta matéria!

Sobre o autor

Luiza Cervenka

Luiza Cervenka é bióloga, com mestrado em Psicobiologia (comportamento animal), Pós-graduação em Jornalismo e doutoranda em Medicina Veterinária. Assina o blog Comportamento Animal do Estadão e tem quadro pet no Programa Revista da Manhã na TV Gazeta. Atende cães e gatos como Terapeuta Comportamental.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.