O que você precisa saber sobre a socialização de cães

Já imaginou promover a infância de uma criança apenas dentro da própria casa, sem acesso ao ambiente externo e, consequentemente, sem conhecer o Mundo? Isso com toda certeza causará alguns problemas sociais futuramente, devido à falta de exposição. Com filhotes, o raciocínio deve ser o mesmo! Assim como os seres humanos, eles necessitam de uma socialização precoce.

O plano é simples: leve o cãozinho para diversos lugares, para conhecer novas pessoas, sons, lugares e outros pets, promovendo especialmente o relacionamento. Saiba que este é um processo imprescindível na educação canina, e caso esteja lendo essa matéria na quarentena, neste outro post separamos algumas dicas de como socializar um filhote em período de isolamento social.

O que você precisa saber sobre a socialização de cães

Em qual período devo socializar meu filhote?

O tempo de socialização de um cão deve acontecer entre quatro e 14 semanas de vida. Durante esse momento, ele deve aprender principalmente sobre novos seres  e ambientes, isto é, o que é adequado e seguro. Este é o motivo pelo qual as pessoas carregam os filhotes para todos os cantos.

Mas se engana quem acredita que o processo para por aí! Um cão deve socializar durante toda a vida, mas especialmente entre um e três meses, já que esse é o momento em que ele precisa se adaptar e entender seu novo Mundo.

Como socializar meu pet?

Como dito acima, não existe segredo para garantir uma boa educação ao peludo desde o início da vida. Apresente-o para pessoas e animais diferentes com certa frequência. Um passeio em alguma praça pública ou receber amigos e  familiares em casa na companhia do peludinho é uma boa maneira de o expor.

Além disso, os pais devem levar o cãozinho para locais atípicos, desde bosques ou jardins, até em lugares onde há bastante gente, como próximo aos comércios do bairro onde mora.

O que você precisa saber sobre a socialização de cães

Efeitos positivos

É preciso ter em mente que a socialização só terá efeitos positivos se a vivência for positiva. Garantir uma boa relação com outros humanos e pets é crucial para o cãozinho assimilar que se interagir é conveniente e proveitoso.

Caso o pet seja exposto a pessoas que interagem inadequadamente ou a cães agressivos, provavelmente ele entenderá que humanos e outros animais são perigosos e assustadores. Por isso, é preciso estar bem atento local onde deve levar o filhote, já que suas experiências na infância podem definir o seu comportamento futuramente.

Sobre sons altos no ambiente, como tempestades, fogos de artifício ou barulhos de tráfego, é preciso mostrar ao pet que são inofensivos e, por isso, não deve-se temê-los. Pessoas e animais que se assustam com o barulho de fogos de artifício, por exemplo, costumam passar esse temor aos filhotes, devido à reação de apreensão de quando elas ouvem o barulho – isso traduz a eles como um mal que deve ser evitado.

Filhotes ansiosos

Infelizmente, alguns filhotes, por inúmeras razões, tendem a ser ansiosos e/ ou agressivos ainda muito jovens. Nessas circunstâncias, os pais precisam abusar da exposição e de estímulos, mas lembre-se: nunca os force a situações que eles consideram assustadoras, já que isso pode torná-los ainda mais ansiosos ou agressivos. Um exemplo disso é aquele filhote que tem medo de pessoas e odeia ser acariciado por estranhos devido ao pavor e o tutor faz questão de levá-lo ao centro da cidade, onde há uma enorme aglomeração de pessoas, e todas que passam tentam acarinhá-lo. O ato, além de não estar ajudando, pode desenvolver ainda mais a agressividade, afinal, o pet não deseja qualquer interação com outros humanos, mas está sendo forçado devido às circunstâncias.

Geralmente, pais de pets ansiosos e/ ou agressivos ouvem que eles precisam apenas ser socializados, mas a realidade é que a socialização não serve como tratamento para esses tipos de distúrbios. Já imaginou o risco de soltar um cãozinho indefeso em um parque cheio de crianças no “objetivo” de fazer com que ele se socialize? De fato, essa ideia é extremamente ruim e irá causar danos em ambas as partes.

O que você precisa saber sobre a socialização de cães

A socialização vai além das 14 semanas

O período entre quatro e 14 semanas é o momento onde o filhote começa assimilar os fatos e entender mais sobre o mundo e está mais aberto para as novidades. Entretanto, o processo de socialização deve ir muito além, afinal, o que adianta socializar um pet corretamente dentro deste período e depois privá-lo de interagir com outros humanos e animais? É indispensável que continue reforçando que pessoas, cães, sons e outros fatores e situações são bons e seguros.

Quais os danos de uma não socialização?

Sabe aquela criança mal-educada, que não respeita ninguém e se comporta muito mal na presença de visitas? Esse será o seu filho de quatro patas caso não tenha uma boa socialização durante a infância. Futuramente, as deficiências sociais do pet serão muito aparentes, pois ele fará pouca questão de se socializar e, de quebra, ainda será um cão agressivo.

Cães que não foram socializados corretamente ou simplesmente não passaram pelo processo durante o início da vida costumam ser ansiosos e medrosos com qualquer situação diferente. Por isso, é imprescindível que todos, sem exceção, sejam expostos à sociedade precocemente!

Sobre o autor

Gabriel Arruda

Gabriel Arruda

É estudante de Jornalismo, apaixonado por animais e esportes. Está sempre em busca de novos desafios, justamente pela curiosidade que o toma conta. Pai de um Beagle chamado Johnny, mais conhecido como "o Destruidor".

9 Comentários

  • Adotei minha cadela SRD já com mais de um ano, ela tenta brincar com outros cães na rua, mas tem medo quando tentam a cheirar e isso sempre causa problemas, porque a agitação dela incomoda os outros animais. Desde que a pegamos recebemos visitas em casa, mas ela sempre fica agitada durante toda a estadia da visita. Não sei o que fazer. Como socializar um cão já adulto e muito ansioso?

    • Olá, a socialização de um cão adulto deve acontecer da mesma maneira de quando filhotes. Exponha-o em diferentes locais, situações e para pessoas desconhecidas. O objetivo é mostrar que o mundo é seguro e que humanos e outros pets são inofensivos.

  • Minha filha adotei quando ela tinha 6 meses. Então antes disso não sei como foi a socialização dela , e desde que adotei ela não consigo andar com ela na rua sem o guia , se ela escapa sai correndo, então acho que ela carrega muito trauma não sei , pq em casa ela fica solta ,passeio sempre que posso,mas quando ela vê uma oportunidade quer fugir hehe.

  • Porque os cachorros tem tendência de comer tudo que ver pela frente eu tenho um Chow Chow ele foge pra rua come tudo que ver pela frente controle brinquedos da minha filha até dinheiro ele come não sei como agir com ele ainda e filhote mais está ficando agressivo quando minha filha vai brincar com ele ele morde ela minha filha tem três anos não sei como agir nessa situação como corrigí-lo o que devo fazer.

    • Olá, Livia. Este problema pode estar ligado a diversos fatores, como maus-hábitos alimentares, déficits nutricionais, ócio, problemas de saúde, falta de socialização, entre outros. Nesta situação, o recomendado é consultar um Médico Veterinário de confiança.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.