Como proteger seu gato no inverno

As baixas temperaturas passaram a ser mais frequentes em boa parte do País e todo mundo que tem um gatinho em casa precisa pensar em diferentes maneiras de manter o bichinho aquecido para suportar a temporada de inverno.

As famosas gripes e resfriados são as doenças mais comuns da época e causam preocupação em pais de pets de qualquer idade. Já os tutores de felinos com problemas respiratórios suam frio a cada tosse ou chiado emitido pelo pet. A caminha confortável, juntamente com as mantas e cobertores bem quentinhos, são acessórios essenciais, mas os cuidados devem ir além para proteger os peludinhos. 

Gato-inverno-Petlove

Para te ajudar na missão de manter o seu filho de quatro patas longe de complicações, nós conversamos com a Lissabele Helena Maluf, Médica Veterinária Clínica de Pequenos Animais e especializada em felinos.

A doutora começou a falar sobre o tema lembrando que manter a carteira de vacinação em dia é um ótimo começo para proteger o bichinho em qualquer estação do ano. Ela também ressaltou a importância de evitar as perigosas correntes de ar, porém, tomando cuidado para que na casa haja possibilidade de renovação do ar. “No inverno, os ambientes tendem a ficarem fechados, mais confinados, facilitando que os gatos transmitam vírus uns aos outros, principalmente aqueles do complexo respiratório felino (entre eles o famoso vírus da rinotraqueíte felina)”, diz Maluf.

Um dos mitos que algumas pessoas acabam acreditando é que os pets necessitam de mais comida nas temporadas de inverno, com a justificativa de que eles gastam mais energia para manter a temperatura corpórea, mas você não precisa aumentar a quantidade de ração no pote do seu bichinho. Lembre-se que num ambiente domiciliar é muito mais fácil manter o animal aquecido, principalmente se você seguir essas nossas dicas.

Lissabele explica quais pets merecem atenção redobrada. “Tomar bastante cuidado principalmente com os animais de sistema imunológico mais fraco, debilitado ou mais velhinhos. Nada de deixar o gato tomar chuva e evitar a exposição dele a correntes de vento”. A médica finaliza lembrando que o potinho de ração é sempre um aliado quando o assunto é prevenção. “Ofereça sempre uma boa alimentação, que esteja de acordo com a atual fase de vida do seu pet”.  

Mas, se mesmo seguindo essas recomendações, o seu companheiro demonstrar dificuldades respiratórias, desânimo ou falta de apetite, não deixe de pedir ajuda a um médico veterinário para que ele faça uma avaliação do bichinho.

>>> Conheça nosso portal de doenças!

Compartilhe esta matéria!

Sobre o autor

Anderson Mafra

Jornalista apaixonado por animais, comunicação, música e que não perde um concurso cultural (na verdade já perdeu vários). Curioso de mão cheia, quer saber sempre mais e compartilhar conteúdo, dicas e curiosidades do mundo pet. É um petlover assumido, sem chance de reabilitação.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.