Como São Produzidas as Rações dos Animais de Estimação

Com a evolução do mercado pet e o aumento da exigência dos donos pela qualidade das rações, surgiu uma grande variedade de produtos, como alimentos específicos para cada espécie conforme vem identificado na embalagem (exemplos: rações super premium cãesrações premium gatos e rações para pássaros). Essas opções possuem uma formulação balanceada e composta de carboidratos, proteínas, gorduras, sais minerais, vitaminas e fibras na porção adequada para suprir as necessidades nutricionais diárias dos animais.

Toda ração fabricada deve possuir um pouco de cada nutriente necessário para cães e gatos conseguirem viver bem, garantindo uma boa saúde visível na pelagem e na dentição do bichinho. As raçoes premium e super premium são identificadas assim nas embalagens para mostrar que elas têm alta qualidade nutricional perante as demais, o que agrega valor à qualidade desse tipo de ração.

A matéria-prima que compõe esses alimentos pode ser bem diversificada e varia de acordo com o fabricante, a marca e a espécie para a qual se destina. Na sua composição encontramos vísceras, carne de aves, carne bovina e peixes em geral, óleos de peixe, farinha de ossos bovinos e também farinhas de milho, trigo, arroz ou soja, glúten, batata, raízes de verduras, beterraba, milho, linhaça, feijão, amido e espessantes.

As rações são fabricadas em diversas etapas, sendo que a primeira é a moagem, na qual ocorre a redução de tamanho de partículas das matérias-primas utilizadas na composição. Depois é realizada a mistura (etapa mais importante da fabricação), onde as matérias-primas são misturadas a fim de garantir que a ração atinja todos os níveis nutricionais necessários para cada espécie e faixa etária. E é também nesta fase que são adicionados corantes, palatabilizantes e no caso das rações úmidas, os líquidos, necessários em sua formulação.

A última etapa é a peletização que consiste na formação do grão da ração, que pode variar de tamanho e formato. A ração peletizada tem vários benefícios, como reduzir microrganismos por conta do tratamento térmico, manter maior densidade da ração, garantir menor volume de armazenagem e de transporte, otimizar o ganho de peso diário e a conversão alimentar, além de melhorar a digestão e reduzir o desperdício.

Sobre o autor

Bruno Oliveira

Deixe um comentário