Conheça a gripe felina

A gripe felina tem os mesmos sintomas que a gripe dos seres humanos (espirros, febre e secreções nasais), mas não é a mesma e não existe transmissão de gripe entre gatos e seres humanos e vice versa. Também conhecida como complexo respiratório viral felino, gripe dos gatos ou rinotraqueite felina, a gripe felina é uma doença muito comum em gatos e facilmente prevenida com vacinações regulares.

Causas da gripe felina

A gripe felina é causada por vírus e bactérias isoladas ou em conjunto. O Herpesvirus felino, o Calicivirus felino, as bactérias Clamydofila felis, Mycoplasma sp e Bordetella Bronchiseptica são os principais agentes causadores da gripe felina.

Formas de contaminação da gripe felina

O contato com gatos doentes ou recuperados da gripe felina, especialmente em contato com os espirros ou objetos contaminados como comedouros, bebedouros e brinquedos. Outra forma de contaminação da gripe felina é por meio dos gatos que tiveram o Herpesvirus, como agente causador, se tornam portadores, mesmo após a cura, e ficam disseminando a doença durante toda a sua vida.

Evolução da doença da gripe felina

Após a contaminação, o vírus e as bactérias se encontram no sistema respiratório superior e os sintomas começam a surgir entre um período de 3 a 8 dias. Em gatos que se recuperaram da rinotraqueite basta um stress prolongado, uma queda de resistência ou tratamentos imunodepressivos – o sistema imunológico não é capaz de responder rapidamente à ameaça – para a volta da doença.

Sintomas da gripe felina

Espirros, tosse, febre, falta de apetite, dificuldade para deglutir e corrimento ocular e/ou nasal são os principais sintomas da rinotraqueite. Esses sintomas podem se estender de 1 a 3 semanas ou mais na dependência dos agentes causadores envolvidos e da gravidade da doença. Em casos mais agressivos e crônicos alguns gatos podem perder o globo ocular em decorrência da gripe felina.

Diagnóstico da gripe felina

Não há uma necessidade clínica de se estabelecer qual o agente causador, a não ser que o gato seja participante de algum estudo científico ou se for para prevenir futuras contaminações. Os sintomas apresentados associados com um bom histórico clínico (ou anamnese) e exames complementares, como hemograma e radiografia de tórax, fecham a maioria dos diagnósticos de gripe felina.

Tratamento da rinotraqueite

O tratamento é baseado em medidas de suporte para manter o estado geral do animal e antibióticos que tem uma boa distribuição no trato respiratório. Em casos muito severos o internamento e acompanhamento intensivo podem ser necessários. A doença tem uma maior mortalidade em filhotes ou gatos imunodeprimidos.

Prevenção da gripe felina

A única prevenção é através da vacinação, amplamente aplicada em clínicas veterinárias e evitar contato com animais doentes ou com os sintomas citados acima.

 

Achou o post interessante? Então compartilha!

Compartilhe esta matéria!

Sobre o autor

Dr. Marcio Waldman

Medico veterinário, diretor e fundador do www.petlove.com.br. Formado em 1988 pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP e pós graduado em latu sensu em odontologia veterinária, foi secretário geral da Anclivepa SP (associação nacional de clínicos veterinários de pequenos animais) e sócio fundador do Simpavet (sindicato patronal dos médicos veterinários). Atuou como clínico veterinário de pequenos animais de 1988 a 2005 em São Paulo, e em 2005 terminou a atividade na clinica para se dedicar exclusivamente ao Pet Love.

5 Comentários

  • Eh com o meu coração partido que eu venho dizer que hj estou passando a noite em claro sem saber se amanhã ainda terei meu filhinho pra voltar pra casa ! Nunca imaginei que algo fosse tirar ele de mim tão rápido ! Hj só tenho Deus pra me confortar e fazer com ele sobrevive pois tudo que podíamos ter feito já fizemos ! Estou triste ! Eu só quero o Cheeto de volta com saúde

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.