Cuidados Após a Morte do Animal de Estimação

Enfrentar a perda de um animal de estimação não é uma situação fácil. A saudade e a dor de não ter mais aquele animalzinho tão querido são incontestáveis, e ainda assim, os donos precisam definir qual destino será dado ao cadáver do pet.

Um cadáver, seja animal ou humano, libera no ambiente o necrochorume, um líquido de cor acinzentada e cheiro fétido, formado por 60% de água, 30% de sais minerais e 10% de substâncias orgânicas, entre elas a putrescina e a cadaverina. Em contato com o solo, o necrochorume pode favorecer a ocorrência de doenças por meio da ingestão ou contato com água contaminada. Por isso é altamente recomendável que se evite enterrar animais de estimação em quintais, terrenos baldios ou sítios.

Uma alternativa interessante são os cemitérios para animaizinhos. Além do dono poder visitar o túmulo de seu amigo sempre que quiser, os cemitérios são locais devidamente regulamentados e apropriados para o sepultamento de cães, aves, gatos, coelhos e roedores. Informe-se se esse serviço está disponível em sua cidade.

Algumas clínicas veterinárias apresentam o serviço de cremação, no qual, mediante o pagamento de uma taxa, os animais são cremados e o dono pode optar por ficar com suas cinzas. As cinzas não oferecem risco ao meio ambiente ou à saúde das pessoas e animais, e podem ser jogadas em um jardim ou mantidas em urnas. Essa é uma alternativa interessante, porém um pouco mais onerosa. Existe ainda, o serviço municipal, que recolhe e destina os cadáveres de animais para incineração ou para aterros sanitários, conforme a política adotada pela prefeitura local. Normalmente, as clínicas veterinárias devidamente regulamentadas fazem uso desse serviço, sem custo adicional aos donos. É preciso se informar sobre as clínicas veterinárias próximas de cada região.

Seja qual for a escolha, procure dar ao seu pet um destino digno e respeitoso. Nunca jogue o cadáver de seu bichinho em caçambas de lixo ou em terrenos baldios, pois além de contaminar o solo e espalhar mau cheiro, vai atrair moscas e poluir o local. Se o seu animal teve alguma doença, espere um tempo antes de colocar outros animais no mesmo ambiente em que o pet vivia. Algumas doenças podem continuar no ambiente mesmo após a morte do animalzinho, como a cinomose, por exemplo. É importante fazer uma desinfecção do ambiente com produtos à base de amônia quaternária, diariamente. Dessa forma, o ambiente estará seguro para outros bichinhos viverem.

Sobre o autor

Dr. Marcio Waldman

Dr. Marcio Waldman

Medico veterinário, diretor e fundador do www.petlove.com.br. Formado em 1988 pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP e pós graduado em latu sensu em odontologia veterinária, foi secretário geral da Anclivepa SP (associação nacional de clínicos veterinários de pequenos animais) e sócio fundador do Simpavet (sindicato patronal dos médicos veterinários). Atuou como clínico veterinário de pequenos animais de 1988 a 2005 em São Paulo, e em 2005 terminou a atividade na clinica para se dedicar exclusivamente ao Pet Love.

Deixe um comentário