Cuidados na hora de construir um viveiro

A primeira coisa a se pensar, antes de se construir um viveiro, é a finalidade para a qual o mesmo se destina. Para esclarecer esse ponto, é importante que se responder à perguntas como: “Para qual espécie de ave?”; “Para quantas aves?”; “É apenas para elas terem espaço ou para reproduzirem?”; “E os filhotes? Ficarão no mesmo local?”. Com essas respostas em mente, é possível começar a planejar os viveiros e acessórios para aves adequados.

O viveiro pode ser construído tanto na parte interna de um galpão, quanto no ambiente, em local descoberto. Se a segunda opção for a escolhida, é necessário que seja procurado um local adequado e que não possua muita corrente de ar, para que as aves não adoeçam. Outro ponto importante é que elas possam aproveitar o sol matinal e que o local seja bastante arejado.

Escolhido o local, vem o cálculo do tamanho. Isso vai variar de acordo com a espécie escolhida e com o número de pets desejados. É importante que se pesquise sobre a área necessária para que eles vivam bem, tendo espaço para se movimentarem e, se for o caso, para se reproduzirem. Então, calcula-se e se concretiza o planejamento do viveiro. É possível ter mais de uma espécie em um mesmo local. A calopsita, por exemplo, permite compor ambientes com  uma diversidade de espécies, em especial pássaros de menor porte, como o periquito australiano e o diamante-gold. Para as calopsitas, os viveiros devem ter de 3 x 1 x 2 m, para 1 ou 2 casais e de 4 x 3 x 2 m, para incluir os filhotes.

Os materiais para a construção podem ser tijolos de barro rebocados, alvenaria, placas de cimento ou blocos de cimento revestidos de argamassa, com cobertura de telhas de cerâmica em 1/3 do viveiro (para proteger os comedouros e bebedouros para avesalimentadores para aves e ninho) e tela galvanizada de cerca de ½ polegada e fio 18.

Piso de concreto com escoamento para água, poleiros de madeira, vasilhas de barro ou louça (com uma separada para tomar banho), são pontos importantes a serem observados e providenciados. Se o local for voltado para a reprodução, é interessante fornecer palha para que a fêmea possa arrumar o ninho e evitar danos aos ovinhos. Depois de construído é só transferir as aves, fornecer água fresca e alimentação adequada. Além da ração adequada, deve-se ofertar frutas e verduras sempre muito frescas e picadas, de maneira que a ave possa comer com facilidade. Algumas delas precisam ingerir tenébrios (também conhecidos como bicho-da-farinha) para completar a nutrição.

Resumidamente, o viveiro precisa ser preparado de forma específica para a espécie em questão e equipado com acessórios que atendam a todos os pets. Só assim a criação das aves poderá ser feita em local perfeito e adequado, garantindo bem estar e saúde aos pets.

Sobre o autor

Bruno Oliveira

2 Comentários

Deixe um comentário