DSTs em Animais

Doenças sexualmente transmissíveis, ou DSTs, também podem ocorrer em animais, e normalmente são causadas por bactérias, protozoários e vírus, e só são transmissíveis entre animais da mesma espécie.

Uma doença, em particular, é mais comum em cães que vivem no meio urbano: o Tumor de Stickers, ou Tumor Venéreo Transmissível (TVT), que é causado por um vírus, cuja propagação ocorre pelo contato direto de um animal contaminado com um animal sadio, principalmente por meio do contato sexual. Após a interação inicial, forma-se um tumor no órgão genital do animal macho ou fêmea. Como os cães possuem o hábito característico de cheirarem uns aos outros, esse também se torna uma via de infecção pelo vírus que pode se instalar também no focinho e boca do animal.

DSTs em animais - PetLove

DSTs em Animais.

Os principais sintomas são nódulos avermelhados e pequenos tumores que se assemelham ao aspecto de uma couve-flor, além de secreção com sangue saindo pela vagina ou pênis do animal. Em casos mais avançados, o animal se mostra apático, para de comer e urinar. O tratamento é complexo, necessitando de quimioterapia e até mesmo cirurgia, e, por isso, a prevenção é sempre a melhor alternativa para garantir a saúde e o bem estar do pet, lembrando sempre que os animais podem estar infectados e transmitindo a doença, mas sem apresentar os sintomas.

Outra DST que pode acometer cães e gatos é a Brucelose, causada pela bactéria Brucella sp e disseminada das fêmeas para os machos, durante o coito, e para seus filhotes, no momento do nascimento. Os machos caninos e felinos podem disseminar a Brucelose pelo sêmen e pela urina, e também pode infectar seres humanos que tenham contato com material infectado, o que pode incluir até mesmo fetos abortados de fêmeas doentes. O tratamento da Brucelose se baseia na castração do animal diagnosticado. Porém, ainda assim, é possível que o animal continue transmitindo essa enfermidade. Os sintomas são: abortos entre o sétimo e oitavo mês de gestação, nascimento de filhotes fracos ou prematuros, retenção de placenta, artrites e febre constante. Nos machos, ocorre inflamação dos testículos, deixando-os estéreis para o resto da vida.

A melhor forma de prevenir as DSTs em animais é planejar o momento de cruzar seu pet, assegurando-se de que ele seja saudável, além de evitar o contato do cão ou gato, com animais desconhecidos ou que vivem nas ruas. Tudo isso deverá vir sempre acompanhado de medidas especiais no cuidado com a higiene dos cães e a higiene dos gatos.

Sobre o autor

Bruno Oliveira

1 Comentário

  • olá tenho um vira lata em casa, ele sai muito para a rua .Tenho notado que esta soltando muita secreção pelo pênis, uma secreção bem amarelada parecendo pus. Estou passando por dificuldades financeiras e não consigo leva-lo no veterinário. Será que vc pode me ajudar?

Deixe um comentário