Gatos se apegam aos humanos?

Os gaiteiros de plantão não terão a menor dificuldade em responder positivamente a esta pergunta. E, agora, eles podem contar com um embasamento científico para justificar o que eles já vivenciam no dia a dia ao lado de seus felinos.

Um estudo recente realizado pelo Departamento de Ciências Animal e da Oregon State University, mostra que aquela velha suposição de que os gatos são bem menos apegados à família quando comparados aos cachorros definitivamente soa como algo ultrapassado

Gato-pesquisa-Petlove

Teste do apego

Os cientistas realizaram um teste bem simples e que, inclusive, já foi realizado com bebês: colocaram 39 gatos juntos a seus pais ou mães humanos em uma sala, por dois minutos, e logo depois os felinos foram deixados sozinhos pelo mesmo período.

Em seguida, o pai ou a mãe do gato retornavam ao local para que os pesquisadores pudessem observar qual seria a reação do pet e, posteriormente, comparar os dados deste experimento, que também foi realizado com cachorros. O grau de apego foi dividido em três categorias:

Apego seguro: pet com estresse reduzido ao ver seu pai ou mãe de volta, mas com interesse em continuar explorando o novo ambiente.

Apego inseguro: sinais de estresse e busca imediata pelo contato com seu pai ou mãe.

Apego inseguro-evitativo: sinais de estresse quando o familiar apareceu, o gato/ cachorro evitou contato.

Para surpresa de muitos (menos dos gaiteiros), os pesquisadores revelaram que os gatos apresentaram comportamentos semelhantes aos cachorros. Dois terços dos gatos (64,3%) mostraram um apego seguro ao dono, enquanto apenas um terço (35,7%) mostrou uma das formas de apego inseguro. Já os cães mostraram os seguintes resultados: 58% de apego seguro e 42% de algum apego inseguro.

Claro que a questão do apego é bem relativa, pois depende de diversos fatores como socialização, raça, estilo de vida, idade e temperamento do pet. Mas, está cada vez mais difícil dizer que o gatos não têm a mesma capacidade de formar laços com sua família humana, mesmo que, de fato, eles valorizem mais a sua independência do que os cachorros

Vale lembrar que gatos, fora de seus ambientes habituais, tendem, em maioria, ser mais desconfiados e receosos, especialmente se não passaram por um trabalho de socialização quando filhotes. Provavelmente, se testados em locais que conhecem, esse resultado seria ainda mais favorável para eles. 

Sobre o autor

Anderson Mafra

Anderson Mafra

Jornalista apaixonado por animais, comunicação, música e não perde um concurso cultural (na verdade já perdeu vários). Curioso de mão cheia, quer saber sempre mais e compartilhar conteúdo, dicas e curiosidades do mundo pet. É um petlover assumido, sem chance de reabilitação.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.