Miíase em Cães e Gatos

Miíase é uma doença causada pela manifestação de larvas de moscas na pele ou em outros tecidos dos cães, gatos e, até mesmo os seres humanos. Essas manifestações podem ser biontófogas, que é quando invadem tecidos vivos e integros e deles se alimentam, um exemplo comum é a “mosca do berne” (Dematobia hominis); ou podem ser também necrobiontófogas, que ocorre quando essas larvas se alimentam de tecidos mortos ao se desenvolver em feridas, o exemplo mais comum é a mosca Cochliomyia hominivorax.

As larvas se desenvolvem e se preparam para o próximo estágio da vida, se alimentando do animal ou ser humano. Podem desenvolver feridas na pele ou em cavidades, as larvas da Cochliomyia hominivorax, por exemplo, formam uma ferida, a famosa bicheira, e dão a aparência de nunca sarar, pois quando as larvas vão passar para o estágio de pupa elas caem, e nisso outras moscas já depositam os ovos no mesmo local, ocasionando a não cicatrização e a permanência de novas larvas.

Os bichos de estimação, quando acometidos por uma miíase, vão sofrendo danos a saúde de forma progressiva. Devido à intensa dor começam a sentir os efeitos da debilidade física aos poucos, começam a se movimentar e se alimentar menos e a quantidade de água ingerida também diminui. Desse modo, o quadro se agrava, para muito além de algo que parecia um “simples problema de pele”.

O tratamento consiste na remoção das larvas. Se forem “bernes” o animal pode ter uma ou mais, mas sempre em pontos individualizados. Se for uma “bicheira”, existirão várias larvas na mesma lesão. O ideal é que esse procedimento seja realizado por um médico veterinário, que irá avaliar e executar com precisão o processo de remoção de tais larvas, que é realizado mecanicamente, com o auxilio, ou não, de outras substâncias. Se necessário, o veterinário irá prescrever algum medicamento específico para a recuperação completa do animal após a remoção das larvas.

Para evitar que os bichos tenham esse tipo de problema, o ideal é reduzir a presença de moscas no ambiente. É sempre importante remover as fezes dos animais antes que haja o acúmulo de moscas no local, o lixo também é um atrativo para esses insetos, por isso é recomendado que mantenha sempre fechado. Quando o problema de moscas for mais intenso, pode-se usar repelentes ambientais, os quais evitam a permanência dos insetos no ambiente, existem desde os industrializados até opções mais naturais. Se ainda assim, os animais estiverem sempre expostos a muitas moscas, pode-se consultar o médico veterinário, sobre o uso de substâncias inseticidas, como alguns medicamentos anti pulgas e carrapatos, que podem impedir o desenvolvimento dessas larvas no corpo do pet.

Sobre o autor

Dr. Marcio Waldman

Dr. Marcio Waldman

Medico veterinário, diretor e fundador do www.petlove.com.br. Formado em 1988 pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP e pós graduado em latu sensu em odontologia veterinária, foi secretário geral da Anclivepa SP (associação nacional de clínicos veterinários de pequenos animais) e sócio fundador do Simpavet (sindicato patronal dos médicos veterinários). Atuou como clínico veterinário de pequenos animais de 1988 a 2005 em São Paulo, e em 2005 terminou a atividade na clinica para se dedicar exclusivamente ao Pet Love.

2 Comentários

Deixe um comentário