O câncer nos animais domésticos

Tumor é um termo genérico que indica um aumento anormal de uma parte ou da totalidade de um tecido. Pode ser maligno (conhecido como câncer), quando é enraizado e pode se espalhar por outro órgão, ou benigno, quando é facilmente retirado com um único procedimento cirúrgico. E, assim como os humanos, os pets também podem ser acometidos por essa doença, sendo conhecia como neoplasia, no meio veterinário.

O câncer nos animais domésticos - Petlove - O Maior Petshop Online do Brasil

O Câncer nos Animais Domésticos.

Quando o dono notar o aparecimento de qualquer caroço no corpo do pet, acompanhado de alteração de comportamento, deverá levá-lo urgentemente ao veterinário. Os tumores podem ser visíveis externamente ou serem internos, e somente esse profissional poderá fazer exames para diagnosticar a sua gravidade. Tumores de mama, de pele e linfomas são alguns dos mais comuns entre cães e gatos.

Os tumores de mama podem ocorrer em fêmeas e machos. Nas fêmeas, costumam ser mais frequentes, principalmente em pets nos quais há aplicação de medicamento para inibir o cio. Em animais castrados, quando jovens, essa incidência cai muito. O câncer de pele é mais frequente em bichinhos de pele clara, assim como ocorre com os humanos, e que têm mais de 8 anos de idade. Uma maneira de evitar essa doença é usar protetor solar no pet, e evitar exposições prolongadas ao sol. Os linfomas são tumores nos gânglios dos animais, sendo mais comuns em gatos e aparecendo como um inchaço, principalmente na região do pescoço. Há também um tumor conhecido como TVT, o “tumor venéreo transmissível”, que é causado por um vírus transmitido sexualmente e tratado com quimioterapia. Nesse ultimo caso, o prognóstico é bom.

O diagnóstico definitivo é feito após a realização de uma biópsia, para analise das células e saber se é benigno ou maligno. Então, o médico veterinário irá decidir qual é o melhor tratamento para o tumor em questão. Na maioria das vezes, o câncer pode ser tratado com uma cirurgia. Em alguns casos, a quimioterapia se faz necessária, seja para acompanhar a cirurgia ou para ser a base do tratamento.

O tratamento da doença é bastante delicado e requer muita dedicação do dono do pet. A cura nem sempre é possível e, após o diagnóstico, é importante conversar com o médico veterinário para escolher qual caminho seguir, o que irá variar muito de acordo com o tipo de tumor e com a idade do pet.

Sobre o autor

Bruno Oliveira

Deixe um comentário