O que pode causar queda de pelo em gatos?

A alopecia felina ou a queda de pelos (como chamamos popularmente) pode estar relacionada a diversas doenças, porém não é toda queda de pelo que representa um perigo à saúde do bichano. A queda de pelos pode acontecer também no ato de lambedura, a “hora do banho” do gato. Porém, a queda excessiva de pelos, que formam alopecias – falhas pelo corpo – devem ser investigadas, pois podem ser indício de alguma doença.

O que é alopecia?

A alopecia é a queda de pelos em excesso, que formam falhas pelo corpo do gato, podendo ter a presença de vermelhidão ou alteração na textura e brilho do pelo. Geralmente, estão associadas à doenças, estresse, dermatites de contato, dermatoses solares, entre outras.

Quando em conjunto com alguns tipos de enfermidades, o organismo do gato entende que a sua prioridade é poupar nutrientes e energia para os órgãos vitais (coração e cérebro). Com isso, a pele e a pelagem ficam em segundo plano e podem acabar sofrendo com a falta de nutrientes.

Por isso, a avaliação de um médico veterinário nesses casos é de extrema importância. Só um profissional irá conseguir identificar por meio de exames clínicos e laboratoriais se há algo errado com o seu gato e assim tratá-lo da melhor maneira possível.

Possíveis causas da alopecia

  • Gestação e amamentação: nesta fase, as mamães geralmente apresentam perda de pelo em excesso em qualquer parte do corpo. Por uma soma de fatores como o estresse e mudanças bruscas no seu metabolismo, a alopecia é bem comum nesses casos.
  • Alergia alimentar: com a presença de algumas substâncias na ração, alguns gatos podem desenvolver certas alergias com o alimento. Nesse caso, converse com o médico veterinário e veja qual a melhor alimentação para se fornecer.
  • Dermatite: existem diversos tipos de dermatite e as principais são as alérgicas, por contato ou inalante, e psicogênicas. A dermatite por contato aparece após o primeiro contato do gato com algum tipo de material (plástico, tipos de metal ou medicações). Inalar poeira ou mofo também pode ocasionar o problema. Já a dermatite psicogênica acontece por um distúrbio neurológico, decorrente ao tédio/ ócio, estresse e/ ou ansiedade.
  • Queimaduras de sol: mesmo com a proteção dos pelos, caso os gatos fiquem muito tempo expostos no sol, podem gerar queimaduras. Por isso, é de extrema importância os pais não deixarem os bichanos muito tempo no sol ou utilizar um protetor solar veterinário.
  • Hipotricose congênita: essa alopecia faz com que os gatos tenham pouco ou quase nenhum pelo. A queda excessiva pode ocorrer até os quatro meses de idade. O médico veterinário pode solicitar uma biópsia e analisar se esse problema realmente é com os pelos do gato, caso positivo, não existe tratamento, já que se trata de uma doença congênita.

Como evitar a alopecia?

É necessário que, ao se perceber uma queda de pelos em excesso, o gato seja levado imediatamente ao médico veterinário. Além de consultas rotineiras com o profissional, é demasiadamente importante que o pet seja alimentado com rações para gatos de qualidade super premium e seja poupado de todo o estresse possível.

Sobre o autor

Gabriela Azevedo

Gabriela Azevedo

Formada em design gráfico e cursando medicina veterinária, profissão que herdei paixão graças ao meu pai. Catlover e apaixonada pelos meus 6 gatinhos (Tchantcham, Drake, Josh, Marie, Maysa e Cara Preta -in memoriam- ♥) e pelos pets agregados que fazem parte da minha vida (todos os que encontro. bem doida dos bichos!).

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.