O Tempo de Vida de Cães e Gatos

Assim como nos humanos, os cães e gatos têm as fases de infância, juventude, fase adulta e velhice. Têm também um tempo máximo de vida. É como se o organismo fosse programado para ter uma divisão celular perfeita e manter todos os processos fisiológicos funcionando bem, por um determinado período. Quando essa duração se estende além do que ocorre normalmente, começam a aparecer as dificuldades, como as de locomoção, digestão e, muitas vezes, o aparecimento de tumores (quando as células já não se duplicam como deveriam).

Não há uma maneira de estipular quantos anos de um cãozinho ou de um gatinho equivalem a um ano de uma pessoa. O cálculo comumente feito de um ano do bichinho como se fossem sete de vida de uma pessoa, deixa várias falhas, pois não leva em conta as fases fisiológicas do animal. Cães amadurecem bem mais rápido que uma criança no primeiro ano de vida, por exemplo. Então, um cão de 1 ano teria aproximadamente 15 anos “humanos”, e não 7, o que já derruba a teria do 7 para 1 que muitas pessoas acreditam ser verdadeira. O tamanho e a raça do pet também influenciam no seu envelhecimento. Cães menores vivem mais tempo que os de raças grandes, porém amadurecem mais rápido nos primeiros anos de vida. Um cão grande pode amadurecer mais lentamente no início, mas já ser considerado idoso aos 5 anos de idade.

De maneira generalizada podemos falar que um pequenino de seis meses tem por volta de 15 anos de “idade humana”, com dois anos, teria 27 anos de um humano, com 10 anos, o equivalente a 55 anos de uma pessoa, e com 18 aninhos, quase 90 anos humanos.

Já os de porte médio, com seis meses teriam o equivalente a 8 anos humanos. Com dois anos, 23 anos, com 10 anos 75 anos e com 14 aninhos, 95 anos humanos. Como se pode notar, a tabela de cachorrinho médio é um pouco menor, pois vivem em média 14 anos, apenas. Os grandões, com seis meses, têm aproximadamente 8 anos, enquanto os gigantes já têm 12 anos. Com 12 anos de idade o cão grande já é considerado como se tivesse 94 anos humanos e, com apenas 10 anos, o gigante já tem o equivalente a 94 anos dos homens. Como se pode notar, quanto maior o tamanho do pet, menor o seu tempo de vida. Raças pequenas e “micros” não ficam idosas até mais ou menos 10 anos, as raças de tamanho médio estão no meio do caminho em termos de amadurecimento e longevidade e raças gigantes são consideradas idosas a partir dos 5 anos.

Os gatos vivem entre 16 e 20 anos e, como não possuem muita diferença em relação ao porte, os cálculos não são tão complexos como no caso dos cães.  Um gatinho com um aninho é como se já tivesse 16 anos, quando comparado a uma pessoa. Com 5 anos, 33, com 11 anos seriam 57 humanos, 14 se parecem com 69 anos e com 20 anos, os gatinhos se assemelham a pessoas com 93 anos. Portanto, como visto, não é possível fazer apenas um cálculo simples da proporção de 7 anos para 1, e comparar desse modo as idades. É necessário levar em conta a evolução do desenvolvimento do pet.

Por mais vontade que as pessoas tenham, não há como impedir que o envelhecimento ocorra e que a morte chegue, mas há como fazer com que a vida seja totalmente bem vivida pelo animalzinho, sem que morra jovem e deixe os proprietários antes da hora. Visitas frequentes ao médico veterinário para check ups, alimentação adequada, água fresca, cuidados com a higiene, embelezamento e hidratação feitos da forma correta, passeios, amor e carinho, enfim, tudo isso pode garantir a saúde do animal e fazer com que o pet viva feliz por muito tempo.

Sobre o autor

Bruno Oliveira

7 Comentários

Deixe um comentário