Oriental – Principais doenças

A raça de gato Oriental é um dos pets mais elegantes que há no mundo felino. Muito similar ao Siamês, o Oriental possui orelhas grandes, rosto triangular e corpo bastante alongado, a única diferença visível é a pelagem, que pode apresentar cores diversas. As principais doenças do gato Oriental são especialmente as de origem genética e/ ou hereditária.

Há duas variações do Oriental: o de pelo curto e o de pelo longo, sendo que ambas as versões possuem saúde e doenças similares às do Siamês, pois eles são parentes próximos. As principais doenças que afetam o Oriental são o estrabismo, amiloidose hepática, cardiomiopatia hipertrófica e cálculos urinários.

Gato oriental deitado num cesto

Estrabismo

O estrabismo é o nome técnico para designar os gatinhos que são vesgos, uma característica bastante comum nos siameses e orientais. A condição gera um desalinhamento do olho, que pode ser convergente (quando o olhar é em direção ao nariz) e divergente (em direção aos lados).

As causas podem ser neurológicas, como em lesões nos nervos cranianos ou pode ser por alterações musculares que causam flacidez e incapacidade de controlar a direção dos olhos. 

O problema é passado de pais para filhos e por mais que não seja algo grave, o gatinho afetado precisa de um acompanhamento por um médico veterinário oftalmologista – já que a visão do pet pode ser prejudicada pela condição e em casos graves, a consequência é dificuldade para se locomover e até mesmo convulsões. 

Amiloidose hepática

A amiloidose hepática é uma doença que causa acúmulo da proteína amilóide no fígado, o que pode desencadear uma insuficiência hepática. O Oriental é predisposto geneticamente ao problema e os gatos são diagnosticados geralmente quando a doença hepática já está presente.

Os principais sinais da condição são anemia, hipotensão, anorexia, mucosas pálidas e falta de apetite. Devido ao risco de sangramento intra-abdominal, a doença é bastante perigosa e o gato afetado precisa ser levado ao médico veterinário o mais rápido possível. 

Cardiomiopatia hipertrófica

A cardiomiopatia hipertrófica é a doença cardíaca mais comum em gatos. Acontece quando o músculo cardíaco está espesso, prejudicando o processo de contração do coração.

Nos anos 80 o problema foi associado à deficiência de taurina na dieta dos gatos e, desde então, a suplementação deste aminoácido nas dietas dos felinos diminuiu muito a incidência da cardiomiopatia hipertrófica. Os sinais clínicos são variados, mas os gatos geralmente apresentam dificuldade respiratória, falta de apetite e apatia. 

Cálculo urinário

Os amantes de gatos sabem da predisposição da espécie em sofrer com problemas no trato urinário. Infelizmente, algumas raças têm ainda mais chances de serem acometidas por esse problema, como é o caso do Oriental.

Os cálculos urinários são uma espécie de “pedra” que podem se formar na bexiga e uretra dos felinos. Se não tratado, o problema pode ser bastante perigoso, pois muitas vezes resulta em um bloqueio na passagem da urina. A obesidade, sedentarismo, e a pouca ingestão de água são fatores de risco e pioram ainda mais o quadro do pet.

Outras doenças que podem afetar o gato Oriental:

As doenças citadas aqui são provenientes de estudos e artigos de predisposição de certas doenças em raças. Lembrando que seu Oriental pode viver uma vida saudável sem ser acometido por nenhuma enfermidade.

Entretanto, a informação e conhecimento são importantes e a qualquer sinal de que algo está errado com seu peludo, procure um médico veterinário.

Sobre o autor

Beatriz Mario

Beatriz Mario

Estudante de Medicina Veterinária, sonho que tenho desde criança, cresci com gatos e hoje sou uma felícia assumida. Tenho dois felinos resgatados: o Frodo e o Bilbo, que são considerados meus filhos de pelo. Meu propósito de vida é ajudar o máximo de pets possíveis e fazer com que eles fiquem mais felizes e saudáveis escrevendo para o blog da Petlove.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.