Cadastre-se e ganhe 20% OFF na primeira assinatura!

Passear com cachorro no calor: pode ou não?

Com a frente de calor intenso que estamos vivendo, os pets acabam sofrendo. Mas será que devemos fazer mudanças na rotina ou mantemos? Será que pode passear com cachorro no calor? Veja algumas dicas.

Com o calorão que está fazendo, nada melhor que um ar-condicionado para refrescar. Nossos pets não ficam de fora e pedem para permanecer no ambiente refrigerado. 

Se para os seres humanos não é fácil enfrentar as altas temperaturas deste verão, para os pets, o problema pode ser ainda maior. Afinal, diferentemente das pessoas, a maioria deles é coberto por pelos, o que, quase sempre, piora a sensação de calor.

Por isso, muitos tutores procuram aliviar o sofrimento de seus bichinhos de estimação, utilizando pedras de gelo na água ou ligando ventiladores e aparelhos de ar-condicionado dentro de casa, por muito mais tempo do que o necessário. 

mulher passeando com dois cachorros na rua

Mas daí, quem vai querer sair para a rua? 

Sabemos que passear com os cães entre 10h e 15h é extremamente prejudicial aos peludos. Além de poder queimar as patinhas, o excesso de calor pode causar hipertermia (aumento da temperatura corpórea), desidratação, queimar partes da pele com pouco pelo e até facilitar problemas de visão com a forte luminosidade.

Mesmo durante a noite, parece que a temperatura não diminui tanto e o solo demora para resfriar. Será que nesses dias eu devo desistir de passear com meu cachorro?

Não, pode passear com cachorro no calor. Os cães precisam passear todos os dias. Mas é possível encontrar alterativas para que o exercício esteja aliado a cuidados com a saúde do peludo.

Veja algumas dicas para passear com cachorro no calor:

  1. Passeie em locais ao abrigo do sol. Pode ser embaixo de árvores, no shopping ou no estacionamento de um hipermercado;
  2. Se tiver praça ou parque perto da sua casa, leve o pet no colo até a grama ou terra. A chance de queimadura é muito menor;
  3. Converse com amigos e parentes para levar o cachorro na casa deles. Não será um super passeio, mas pelo menos irá trazer novidades à vida do animal;
  4. Na pior das hipóteses, leve o pet para passear de carro, com o ar-condicionado ligado.
  5. Independentemente para onde seja o passeio, leve água e hidrate seu pet com frequência. Leve um tapete de gelado ou mesmo gelo (desses de gel, que não queima) para refrescar as patas e a barriguinha dele.
  6. Se seu pet tiver carrinho, pode ser uma ótima opção para os dias mais quentes, mas fora dos horários de pico do sol. Coloque o tapetinho no carrinho ou mesmo o gelinho.

Resolvendo o calor em casa

As dicas mais simples e baratas ainda são as mais eficazes:

  • Ofereça um piso frio para que o pet possa deitar e refrescar a barriga.
  • Faça sorvete específico para ele, com suco de melancia ou melão, por exemplo.
  • Dê banho pela manhã e deixe-o secar no sol, na hora do almoço.
  • Mantenha o pet hidratado, oferecendo água fresca ou com gelo, em potes espalhados por diversos locais da casa.
  • Nos horários mais quentes do dia, ofereça uma bacia de água para que ele brinque e se refresque.
  • Se perceber qualquer alteração de comportamento, como desânimo ou falta de apetite, principalmente se acompanhar tosse ou espirro, leve o pet imediatamente ao médico-veterinário.

O calor não está fácil para ninguém (inclusive, estou escrevendo com o ar-condicionado ligado). Mas mudar bruscamente a rotina do pet ou privá-lo de atividades que ele gosta pode não ser a melhor saída.

Compartilhe esta matéria!

Sobre o autor

Luiza Cervenka

Luiza Cervenka é bióloga, com mestrado em Psicobiologia (comportamento animal), Pós-graduação em Jornalismo e doutoranda em Medicina Veterinária. Assina o blog Comportamento Animal do Estadão e tem quadro pet no Programa Revista da Manhã na TV Gazeta. Atende cães e gatos como Terapeuta Comportamental.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.