Peixes também podem ter depressão

Quem tem peixes em casa dificilmente consegue perceber como eles estão se sentindo. Por não terem expressões faciais evidentes e por não estarem tão próximos de nós como outros pets, é um tanto quanto desafiador saber o que se passa em suas vidas. Um estudo realizado pela Universidade Troy, nos Estados Unidos, mostrou, porém, que esses animais também podem sofrer com o mal do século: a depressão.

Analisando um cardume de peixes zebra por seis anos, os estudiosos notaram alterações cerebrais nos animais similares àquelas que acontecem em seres humanos deprimidos. De acordo com o neurocientista Julian Pittman, alterações no apetite e isolamento social são bem comuns, assim como inércia e falta de interesse em “explorar” outros lugares do aquário. 

A “tristeza” desses peixes pode ser medida pela quantidade de tempo em que eles passam em certas partes do aquário, já que não é comum que este tipo estudado fique somente na porção inferior, por exemplo. 

Para evitar que peixes e outros pets sofram com quadros depressivos, é preciso oferecer a eles um ambiente enriquecido e satisfazê-los adequadamente como espécie, oferecendo elementos capazes de mimetizar a vida na natureza. 

Sobre o autor

Jade Petronilho

Jade Petronilho

É jornalista por formação e comportamentalista veterinária por paixão. Desde criança é a "louca dos bichos", por isso resolveu estudar medicina veterinária, etologia e nutrição animal, mas ainda pretende, um dia, fazer zootecnia. Atualmente tem dois cachorros, dois gatos e 13 peixes, mas além de cães, gatos e peixes, também já foi tutora de um coelho, três periquitos, dois porcos da índia, dois pintinhos e três cabritos.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.