Saiba tudo sobre o perigo das pipas para os pets

Brincadeira tanto quanto perigosa: empinar pipas pode ser considerado um dos hobbys mais populares no Brasil. Todos os anos, os céus de junho, julho, dezembro e janeiro são recheados por papagaios, como também são chamados,  de todas as cores e tamanhos empinadas por crianças, adolescentes e até adultos.

Mas, afinal, o que pipas têm a ver com pets? Tudo! Além dos perigos trazidos para humanos devido ao uso de cortantes – mais conhecido como “cerol” -,  muitos cães e gatos também estão a mercê desta “inofensiva” brincadeira, principalmente os que estão em situação de rua.

Muitas cidades onde os papagaios são mais populares sofrem com os resquícios deixados pelos “pipeiros”. Nestes lugares é comum ver pipas e rabiolas enganchadas em postes, cercas e fios, além dos metros de linha soltos pelas calçadas. Por mais que pareça inocente, estes são perigos reais aos peludos.

Saiba tudo sobre o perigo das pipas para os pets

Linhas: uma verdadeira ameaça

Geralmente, as linhas mais usadas para soltar papagaios são as que possuem cerol, que podem causar acidentes seríssimos, tanto com pessoas quanto com cães e gatos. Recentemente, foi noticiado que um cão teve a cauda mutilada por uma linha de pipa que continha cerol. A pipa caiu em um terreno onde o cão vive com a sua família em Florianópolis, Santa Catarina, e o pet acabou se enrolando na linha enquanto brincava com a pipa. Ele foi socorrido, mas, infelizmente, precisou amputar o rabo devido ao ferimento gravíssimo.

Fora as chances de acidente, ainda existe a possibilidade do pet engolir as linhas, podendo provocar sérias complicações internas que em muitos episódios até causam o falecimento. O que ocorre dentro do organismo é que uma ponta da linha pode prender em algum local do trato gastrointestinal enquanto o resto continua seguindo o caminho natural da ingestão. Por se tratar de um órgão com peristaltismo (movimento comum da digestão), pode ocorrer um enrugamento das alças por causa dessa linha presa e isso vale para qualquer linha, mesmo as que não são tão cortantes.

Casos como esse são tratados como emergenciais, sendo necessária uma cirurgia imediata para não ocorrer uma ruptura intestinal ou perder parte do intestino por morte tecidual. Também existem situações onde o pet apenas defeca a linha normalmente, mas o risco é iminente.

Varetas e plásticos

Além das linhas, o material usado para fabricar os papagaios também é bastante prejudicial para um pet. A vareta de madeira ou fibra, utilizada para dar forma ao pipa,  caso seja ingerida, pode perfurar um órgão, enquanto o plástico utilizado nas rabiolas, geralmente de sacolas coloridas ou de supermercados, e o papel seda podem provocar uma obstrução intestinal. Ambos os contratempos mencionados têm o potencial de levar o pet a óbito.

Situações emergenciais

Seu peludo comeu alguma linha ou ingeriu pedaços de uma pipa? Leve-o imediatamente para um médico veterinário. A avaliação de um profissional é imprescindível nestes casos, já que somente ele saberá quais procedimentos o pet deve passar para evitar qualquer tipo de complicação.

Sobre o autor

Gabriel Arruda

Gabriel Arruda

É estudante de Jornalismo, apaixonado por animais e esportes. Está sempre em busca de novos desafios, justamente pela curiosidade que o toma conta. Pai de um Beagle chamado Johnny, mais conhecido como "o Destruidor".

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.