Ter um pet por perto pode nos ajudar em situações de luto e perdas, aponta estudo

O processo de separação ou luto por perder um ente querido pode ser considerado uma das situações mais difíceis que assombra toda a humanidade. Infelizmente, esse é um cenário inconversível que ninguém pode evitar. Ainda assim, existem algumas formas de abreviar o sofrimento, e os pets podem cooperar – e muito – para isso.

Um estudo realizado pela Universidade da Flórida, nos Estados Unidos, financiado pela Sociedade Gerontológica da América e pelo Instituto de Pesquisa Waltham, da Mars Petcare, revelou que ter um animal de estimação pode reduzir a perda de um cônjuge e até sentimentos de solidão e depressão em adultos.

Os pesquisadores analisaram pessoas com uma faixa etária de 50 anos que passaram por processos de separação ou estavam em luto por perder um cônjuge, e depois exploraram se os efeitos da perda matrimonial eram diferentes entre os que tinham ou não tinham pets. Logo concluíram que os que perderam a esposa ou o marido e não possuem um animal de estimação apresentavam níveis mais altos de depressão em comparação àqueles que tinham a companhia de um cão ou gato e também passaram pela mesma situação.

Ter um pet por perto pode nos ajudar em situações de luto e perdas, aponta estudo

“Muitas vezes, o relacionamento que temos com nosso cônjuge é o mais íntimo, onde nosso senso de identidade está realmente incorporado nesse relacionamento. Então, perder esse senso de propósito e significativo em nossas vidas que vem desse relacionamento pode ser realmente devastador. Um animal de estimação pode ajudar a compensar alguns desses sentimentos. Faz sentido pensar: ‘Bem, pelo menos esse animal de estimação ainda precisa de mim. Eu posso cuidar disso. Eu posso amar e isso me aprecia. Essa capacidade de retribuir e dar amor é realmente muito poderosa”, afirmou Dawn Carr, um dos líderes do estudo.

De acordo com o pesquisador, ter um cão ou gato em casa pode não torná-lo mais saudável, entretanto, os pets podem nos apoiar reiteradamente quando encaramos uma situação desastrosa como uma perda ou separação. Além disso, Carr sugere que parte desse benefício pode estar ligado ao sentimento de ser importante para alguém.

Por fim, os cientistas alegam que novos estudos devem ser realizados no intuito de entender os motivos dos animais domésticos beneficiarem a saúde mental das pessoas, mas que os resultados desta pesquisa podem contribuir para que os pets sejam usados no tratamento de pessoas que passaram por situações como essas.

 

Sobre o autor

Gabriel Arruda

Gabriel Arruda

É estudante de Jornalismo, apaixonado por animais e esportes. Está sempre em busca de novos desafios, justamente pela curiosidade que o toma conta. Pai de um Beagle chamado Johnny, mais conhecido como "o Destruidor".

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.