Por que alguns hamster e outros roedores morrem logo depois de serem comprados?

Aumentar a família com um pet é um momento mágico, não é mesmo? Saber que terá um novo companheiro dentro de casa traz uma sensação única, justamente pelo amor instantâneo que nos atinge logo no primeiro contato. Entretanto, existem casos de pessoas que optaram por adotar hamsters os virem morrerem pouco tempo depois de chegarem em casa. Infelizmente, essa é uma possibilidade real e recorrente em roedores. E nós te explicamos o porquê:

Por que alguns hamster e outros roedores morrem logo depois de serem comprados?

Problemas de saúde

Quando um hamster morre repentinamente, momentos depois de ter chegado em sua nova casa, há a possibilidade de ele ter sido adotado já com alguma doença relativamente fatal e silenciosa para a espécie, como a diarreia, que faz com que o pet perca muitos nutrientes, fluidos e eletrólitos de forma rápida. Também existe a chance do roedor ser portador de uma doença latente em que os sinais ficam “silenciosos” até que haja uma imunossupressão, que é a redução da atividade ou eficiência do sistema imunológico dele.

Morte súbita

A morte súbita não é uma exclusividade dos roedores. Na realidade, ela pode acontecer com qualquer outro pet que nasça com algum tipo de doença pré-existente ou que tenha alguma enfermidade infecciosa, por mais que não tenha dado sinais antes de que havia um problema.

Produtos de limpeza

Os produtos de limpeza são extremamente nocivos para os hamsters, justamente pelas toxinas que muitos carregam em sua composição e podem ser fatais para eles. Em casos de falecimento, o roedor pode ter tido contato com algum produto quando ainda estava nos domínios do criador ou assim que chegou ao seu novo lar.

Por essas e outras que é imprescindível saber da procedência do pet e conhecer bem o criadouro antes de adquirir o hamster. Verifique se o criador é legalizado, confiável e zela por um bom manejo sanitário.

Meu hamster faleceu, e agora?

Apesar das possibilidades citadas, casos como esses exigem a realização de necropsia para, assim, saber o que realmente causou a morte do roedor. Apesar de poder não haver um resultado totalmente exato, esse procedimento pode esclarecer o óbito e evitar problemas caso opte por ter outro pet em breve.

Sobre o autor

Gabriel Arruda

Gabriel Arruda

É estudante de Jornalismo, apaixonado por animais e esportes. Está sempre em busca de novos desafios, justamente pela curiosidade que o toma conta. Pai de um Beagle chamado Johnny, mais conhecido como "o Destruidor".

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.