Cadastre-se e ganhe 20% OFF na primeira assinatura!

Porque os cães gostam tanto de carinho?

Você já viu aquele pet que não pode ver uma mão dando sopa que já vai colocando a cabeça embaixo? Por que será que cachorro gosta de carinho?

cachorro recebendo carinho de uma criança

Quando olhamos para outras espécies, tanto de mamíferos, quanto de aves, observamos o “carinho”, também chamado de grooming. A função desse carinho é a catação ou busca por possíveis parasitas. Nada romântico, eu sei.

Os parasitas podem ser extremamente nocivos para a vida de muitos animais. Assim, a catação ou o grooming são essenciais para a saúde dos animais. Um animal só faz grooming em quem realmente confia e com quem haja uma afinidade.

Nos gatos, temos o allogrooming. Aquele comportamento de um gato dar banho no outro. Essa é considerada a maior demonstração de afeto e parceria entre os bichanos.

Já no caso dos cães, já foi verificado que o carinho é muito mais do que uma limpeza e manutenção da saúde.

Ao longo dos milhares de anos que unem cães e humanos, essa relação foi para outro nível. Da mesma forma que nós, humanos, liberamos um hormônio chamado oxitocina, quando recebemos afeto, o cão também libera esse mesmo hormônio.

A oxitocina é muito mais do que um simples modulador neuronal, mas responsável por aquela sensação de paixão. Por isso, os cães viciam tanto em receber carinho. É muito mais do que uma prova do nosso amor por eles, mas uma sensação extremamente prazerosa.

Cachorro gosta de carinho, mas quando dar?

Mas não é porque o cachorro gosta de carinho que devemos oferecer o tempo todo. Se um pet solicita carinho com frequência, significa que há poucas outras atividades prazerosas para ele executar. Ou seja, a rotina está pobre. Outra possibilidade é a dependência da interação com o tutor para se sentir seguro. O que também não é saudável.

Seja qual for o motivo, o enriquecimento ambiental pode ajudar demais na melhora do bem-estar do cão. Comece oferecendo pelo menos uma das refeições em dispositivos alimentares. Pode ser um comedouro lento, um brinquedo recheável, um tabuleiro, um tapete de lamber ou até um tapete interativo.

Outro item que não pode faltar na rotina do peludo são os mordedores. Tem aqueles estilo petisco ou dental, os naturais, os de nylon ou plástico e até de bambu. Opção é o que não falta para que o pet libere seu estresse através da boca.

O que você não pode deixar de ter para o seu peludo é um local de segurança. Toda vez que ele se sentir inseguro ou querendo paz, ele pode buscar esse espaço. Pode ser uma caminha ou até uma caixa de transporte. O importante é que, quando ele estiver lá, ninguém mexa com ele. Nem mesmo para fazer carinho.

Quando o pet vem pedir carinho, devemos corresponder? 

Sim, devemos! Não é preciso fazer carinho por horas. Basta mostrar que você atendeu à solicitação dele e depois redirecionar o foco para outra atividade, como as mencionadas acima.

Quando ignoramos o cachorro ao sermos solicitados, estamos frustrando o animal e oferecendo um ambiente instável. A partir do momento que ele não sabe se, ao solicitar carinho, será atendido ou não, gera uma confusão e uma ansiedade pela imprevisibilidade da nossa reação. 

Quando não dar carinho no cachorro

Além daquele momento que o pet está no local de segurança, não devemos dar carinho quando o cachorro estiver apresentando algum comportamento indesejado. 

O afago pode ser a melhor recompensa para um cachorro. Mais do que aquele petisco que ele ama. Assim, se ele estiver fazendo algo que não queremos, e oferecermos carinho, ele vai repetir aquele comportamento com mais frequência.

Se o cachorro está latindo, por exemplo, e chamamos até nós e oferecemos carinho, ele vai latir com mais frequência. Se ele está latindo à mesa, pedindo algo, e oferecemos carinho, ele vai pedir cada vez mais.

Pode dar carinho quando o cachorro está com medo?

Quem não gosta de se sentir acolhido e compreendido quando está com medo? É extremamente importante demonstrar ao cão que está tudo bem naquela situação, mesmo que ele esteja desconfortável.

Isso não quer dizer que devemos pegá-lo no colo ou abraçá-lo. Mas fazer carinho nesse momento de angústia dará elementos para o cachorro conseguir lidar com essa emoção em uma próxima vez.

Aquela história que dar carinho recompensa o medo só pode ter sido inventada por alguém que nunca teve medo de barata ou rato. Queria ver um bicho desse entrar na casa dele, se ele não ia clamar por ajuda e atenção. Carinho pode ser o ato de matar a barata para aquele que não consegue fazer isso por medo.

Todo cachorro gosta de carinho, mas é preciso moderação. Nada de passar o dia agarrado com seu cachorro, ein?!

Compartilhe esta matéria!

Sobre o autor

Luiza Cervenka

Luiza Cervenka é bióloga, com mestrado em Psicobiologia (comportamento animal), Pós-graduação em Jornalismo e doutoranda em Medicina Veterinária. Assina o blog Comportamento Animal do Estadão e tem quadro pet no Programa Revista da Manhã na TV Gazeta. Atende cães e gatos como Terapeuta Comportamental.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.