Problemas na Humanização dos Animais

De melhores amigos a autênticos membros da família, os cães ocupam seu lugar incontestável nos lares pelo mundo. Seu amor incondicional, aliado à crescente solidão das pessoas e sua necessidade de companhia, cativa até o ser humano mais indiferente. O comportamento excessivamente atencioso por parte dos seus donos, que, muitas vezes, está espelhado nos moldes de relacionamento interpessoal, acaba por confundir e até mesmo ‘estragar’ a natureza dos bichos. Grande parte dos adornos e produtos diversos para os cachorros, na verdade, foram feitos para agradar ao homem. Embora haja uma maioria de acessórios úteis, é preciso ponderar e evitar exageros. Itens de vestuário, apesar de indicados em muitos casos, cosméticos, sanitários para cães, e outras mercadorias podem chegar a causar transtornos ao animal.

Um cachorro precisa relativamente de muito pouco para ser feliz e ter uma vida digna. Afeto, atenção, uma boa alimentação, visitas regulares ao veterinário e atividades ao ar livre seriam suficientes. O grande problema é que muitas pessoas os tratam como bonecos, brinquedos, ou até bebês, enfeitando-os em demasia, e machucando-os com elásticos e roupas inapropriadas. Todas essas atitudes são extremamente prejudiciais à saúde do animal, tanto física quanto emocionalmente.

Em primeiro lugar, a liberdade do cão precisa sempre ser preservada. Deve-se entender suas vontades, respeitá-las, e não projetar expectativas irreais. A humanização dos animaisque pode ocorrer em menor ou maior grau, traz uma série de malefícios. Estimular atos básicos e típicos de cachorros, como correr, pular, sujar-se na terra ou lama, é sempre importante. Em contrapartida, banhos em excesso, perfumes e aromas devem ser combatidos, pois causam desconforto e podem deixar o bichinho doente.

O comportamento e personalidade do cão pode sofrer alterações irreversíveis, após exposição constante a essa humanização. Bichos dependentes, mimados, antissociais, agressivos e preguiçosos podem resultar de tal combinação perigosa. Existem animais que não suportam nem mesmo mais viver junto a outros animais, após sofrerem tais grandes interferências em seu estilo de vida.

As relações entre humanos estão cada vez mais complicadas, sendo baseadas em princípios distorcidos. O consumismo exacerbado contribui para o afastamento dos valores tidos como nobres. Tudo isso reflete, inclusive, no tratamento dispensado ao animal de estimação. A carência, muitas vezes, acaba sendo preenchida com a ajuda do melhor amigo, e, nem sempre, traduz-se em algo benéfico. Atos sinceros e primitivos, que, em tese, deveriam bastar aos humanos, certamente são mais do que suficientes à felicidade dos cães.

Sobre o autor

Bruno Oliveira

Deixe um comentário