Raças de cães com dreadlocks

Há muitos séculos que o ser humano faz de tudo para “criar” um cachorro perfeito e, com isso, foram surgindo as tantas raças que hoje conhecemos. Não à toa, nossos pets já quase não mais se parecem com seus ancestrais, os lobos, variando muito de tamanho, tipo de focinho e, claro, de pelagem.

Ao longo dos anos, pessoas preocupadas com as características físicas e de temperamento de determinados animais passaram a criá-los e “aprimorá-los”, consagrando-se como criadores preocupados com as individualidades de cada raça. Embora os mais comuns sejam cães de pelo longo ou curto, existem também os de pelo encaracolado, encordoado e até os seu pelo algum!

Aqui, falaremos sobre os cachorros que parecem ter verdadeiros dreadlocks. Confira:

Puli

Criado nos anos 900 na Hungria, o puli servia como pastor de ovelhas, se destacando como um cão sensível com o rebanho e muito obediente com seus treinadores. A raça varia entre 10 e 18Kg e embora e preto seja o mais comum, também pode ser encontrado em tons de fulvo, dourado e azul. Hoje em dia, é visto nos Estados Unidos como cão policial. De difícil manutenção, cada uma de suas cordas deve ser escovada separadamente, pois pode desenvolver nós praticamente impossíveis de serem desfeitos.

Bergamasco

O bergamasco surgiu no ano 100 a.C. na Itália como um cão pastor de gado. Bem maior do que o puli, ele pode atingir quase 40Kg e sua cor é exclusivamente cinza. Como sua região de origem tinha muitos lobos, suas cordas o protegiam de ataques, evitando que os dentes do predador chegassem ao seu corpo. A raça conta com um subpelo extremamente denso e oleoso é o que garante a saúde de sua pele, que pode ser de difícil acesso para ser inspecionada com frequência.

Komondor

Também originado na Hungria, o komondor surgiu como pastor de ovinos nos anos 800. A raça costuma chamar a atenção por sua fidelidade e instinto protetor. Considerado o maior de todos os cães com dreads, ele pode ultrapassar os 60Kg e é sempre encontrado na cor branca. O indicado para eles é não escovar os pelos, mas sim limpá-los individualmente pelo menos uma vez por semana. Tosar com tesoura podem ser feitas pelo menos duas vezes ao ano.

Sobre o autor

Jade Petronilho

Jade Petronilho

É jornalista por formação e comportamentalista veterinária por paixão. Desde criança é a "louca dos bichos", por isso resolveu estudar medicina veterinária, etologia e nutrição animal, mas ainda pretende, um dia, fazer zootecnia. Atualmente tem dois cachorros, dois gatos e 13 peixes, mas além de cães, gatos e peixes, também já foi tutora de um coelho, três periquitos, dois porcos da índia, dois pintinhos e três cabritos.

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.