Reações à Vacinação em Animais de Estimação

A vacinação é uma das principais ferramentas de prevenção de doenças, onde a medicina veterinária se vale desse tipo de cuidado importante para evitar doenças em diversas espécies de animais de estimação. O mecanismo geral de funcionamento de uma vacina é uma espécie de ataque “calculado” ao organismo que o corpo consegue responder de forma eficaz e segura. As vacinas podem se apresentar de diversas formas como a líquida, administrada em gotas para uso oral ou intranasal, além da mais comum para os bichinhos de estimação, as vacinais injetáveis.

Alguns direitos reservados por U.S. Pacific Fleet

“A vacinação é uma das principais ferramentas de prevenção de doenças, onde a medicina veterinária se vale desse tipo de cuidado importante para evitar doenças em diversas espécies de animais de estimação.”

A vacina pode ser composta por microrganismos mortos, em partes ou enfraquecidos (atenuados), além do adjuvante, que é o líquido onde ficam os microrganismos vacinais. Alguns adjuvantes podem ter características irritantes que podem causar um pouco de dor, mas isto ajuda a tornar o “ataque simulado” mais real frente aos mecanismos de defesa do organismo.

Vacinar o bichinho de estimação periodicamente traz benefícios à saúde dele, bem como evita gastos desnecessários com medicamentos no futuro. Além disso, a vacinação protege a família evitando doenças que podem contaminar os donos também, denominadas zoonoses, como a raiva e a leptospirose. Como a vacinação é um ataque “calculado”, algumas coisas podem sair do controle e o pet pode apresentar reações vacinais adversas, por mais raras que sejam. É importante que a vacina seja administrada por um médico veterinário, pois só assim as reações poderão ser avaliadas corretamente pelo profissional.

Os cães e gatos podem apresentar reações leves como febre ou um pouco de apatia, mas isso é normal e esta resposta do corpo mostra que a reação imunológica à vacina está ocorrendo. Em geral, esses sintomas desaparecem sozinhos, mas em caso de dúvidas é importante ligar para o veterinário responsável.

Algumas reações mais severas, como a urticária (uma grande e intensa coceira na pele do animal, no local da aplicação) podem ser sinais de uma reação alérgica à vacina. Nesse caso, o animal deverá ser avaliado, pois essa condição pode evoluir para quadros mais graves, como uma reação anafilática. Durante um quadro de reação anafilática, o bichinho irá ganir, vomitar, apresentar fraqueza intensa e isso pode evoluir para um problema respiratório grave. Nestes casos, o bichinho ficará internado sob observação recebendo medicação e cuidados médicos durante o tempo em que o clínico julgar necessário.

As reações vacinais são raras, mas não são impossíveis de acontecer. Por isso, é extremamente importante se informar sobre a vacina que o pet receberá, além das possibilidades de reações adversas de risco, obviamente que sob a responsabilidade de um médico veterinário.

Sobre o autor

Bruno Oliveira

Deixe um comentário