A Fitoterapia no Tratamento de Animais Domésticos

A fitoterapia é, pela sua definição mais básica, o estudo e manipulação de plantas medicinais e suas aplicações na cura das doenças, bem como sua utilização para amenizar sintomas de patologias. Na medicina veterinária, o uso dessa modalidade de tratamento tem se intensificado e contribuído para a saúde dos animais. Historicamente, o uso de plantas para tratamento de doenças é bem antigo, remetendo aos costumes de curandeiros e ao hábito de diversas culturas sobre a ingestão de infusões de ervas ou chá. A palavra moderna para fitoterapia tem origem no idioma grego, “fito” vem de PHYTON que quer dizer planta.

A fitoterapia veterinária tem princípios de aplicação extremamente semelhantes aos da humana, utilizados na forma de extratos, cremes, óleos, infusões e até mesmo a planta in natura, dependendo do animal e do problema diagnosticado.

Para o tratamento de cães, gatosaves e até mesmo animais exóticos, a fitoterapia tem se mostrado extremamente eficiente. Apesar de não ter a mesma potência de substâncias quimicamente sintetizadas, apresentam menos problemas colaterais, sendo especialmente indicada para tratamento de problemas crônicos.

Alguns direitos reservados por rburtzel

“É importante procurar orientação profissional antes de usar qualquer composto, mesmo sendo um fitoterápico.”

As indicações para o uso da fitoterapia veterinária são diversas. Problemas como: dermatopatias (problemas de pele), irritabilidade, higiene bucal, problemas oftalmológicos, gastrites, problemas intestinais (como um desequilibro da flora) e até mesmo anti-helmínticos. Esses compostos podem ser encontrados prontos na forma de xaropes fitoterápicos, manipulados em farmácias específicas ou até mesmo preparados em casa.

Portanto, a administração de preparados de plantas medicinais é uma prática que se perpetua há anos, em destaque pelos seus ensinamentos milenares para o tratamento de doenças humanas ou dos animais. A facilidade de se obter as plantas, aliada ao baixo custo e seus ótimos resultados, tanto na prevenção quanto no tratamento de doenças, são fatores que contribuem para o seu uso.

É importante procurar orientação profissional antes de usar qualquer composto, mesmo sendo um fitoterápico. Consultar um médico veterinário é extremamente importante, pois ele será capaz de dizer quais plantas podem ser usadas e quais não podem pelo risco de serem tóxicas aos animais. Se for mandar preparar o remédio fitoterápico em uma farmácia, deve-se buscar uma que trabalhe com prescrições veterinárias. Caso o dono opte por fazer o composto fitoterápico em casa, além de seguir à risca as recomendações de preparo, é fundamental lembrar-se de adquirir os vegetais de fontes seguras, usar água filtrada e não guardar o preparado por mais de doze horas, que é quando o composto perde suas propriedades médicas.

Sobre o autor

Bruno Oliveira

Deixe um comentário