Reações de vacinas em cães

Normalmente, a vacinação de cachorros costuma ser algo tranquilo e rotineiro, mas alguns pets mais sensíveis podem ter reações diversas à aplicação das vacinas. De uma simples vermelhidão a quadros graves de processos alérgicos, passando por dor intensa no local, essas intercorrências podem acontecer com qualquer um e, na maioria dos casos, costumam ser imprevisíveis.

As reações vacinais podem variar de tipo e intensidade e precisam de uma interferência rápida do médico veterinário responsável pelo procedimento para amenizar cada caso à sua maneira. Filhotes, que estão no esquema de primovacinação (primeiro quadro de vacinas da vida do animal) são os mais suscetíveis. É bem mais comum que eles, por exemplo, sintam dor no local por algumas horas (ou até dias) e fiquem mais prostrados/ quietos por um certo tempo.

Vermelhidão, inflamação e uma espécie de “calombo” no local também não são incomuns. Neste caso, essa formação deve sumir em alguns dias, porém pode acontecer de formar uma espécie de nódulo que merece atenção ao longo do tempo, especialmente se mudar de forma ou crescer.

Febre também é uma reação que pode ocorrer, mas essa não é das mais incomuns. É preciso lembrar que estamos colocando um vírus (mesmo que inativo ou atenuado) no animal, esperando que seu organismo reaja a ele, assim criando imunidade para futuras exposições. Ela deve ser transitória e não costuma ter consequências.

Reações anafiláticas (alergia grave) são mais raras, mas também podem acontecer e comumente aparecem com inchaço/ edema bem visível na face do animal, vômito e dificuldade respiratória. Neste caso, é preciso voltar ao médico veterinário com rapidez. Na clínica, ele irá aplicar medicamentos capazes de combater aquela reação. Quando o pet for vacinado numa próxima vez, é preciso avisar ao médico sobre essa ocorrência, pois na maioria dos casos, pode-se fazer uma medicação preventiva para evitar que o problema ocorra novamente, sem comprometer a eficácia da vacinação.

 

Sobre o autor

Jade Petronilho

Jade Petronilho

É jornalista por formação e comportamentalista veterinária por paixão. Desde criança é a "louca dos bichos", por isso resolveu estudar medicina veterinária, etologia e nutrição animal, mas ainda pretende, um dia, fazer zootecnia. Atualmente tem dois cachorros, dois gatos e 13 peixes, mas além de cães, gatos e peixes, também já foi tutora de um coelho, três periquitos, dois porcos da índia, dois pintinhos e três cabritos.

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.