Sarna em cães

Os animais estão suscetíveis a ter vários ectoparasitas sobre sua pele, entre os quais, os carrapatos, as pulgas e a sarna. Sim, a sarna, embora muitos desconheçam, é um parasita também. São ácaros que invadem a pele do bichinho, trazendo sérios danos. Existem várias espécies de ácaros que as causam, mas as mais comuns são a Sarcoptes scabiei (sarna sarcóptica ou escabiose) e a Demodex canis (sarna demodécica, demodicose ou ainda, sarna negra dos cães).

O cachorro pode contrair a sarna sarcóptica por contato direto com um animal infectado, ou indireto, já que é uma doença muito contagiosa. É importante lembrar que esse tipo da doença é transmissível ao homem. O cão terá uma coceira intensa, queda de pelo, pele vermelha e crostas na pele. O prurido é tão intenso que o animal pode parar de comer. O pet deve ser levado a um veterinário, assim que o primeiro sinal apareça, para que a sarna seja ou não confirmada, e que o tratamento com os medicamentos para cães seja iniciado.

A outra sarna é a demodécica e causa lesões diferentes da anterior. Há vários problemas que ela pode trazer, mas o sinal mais frequente é a queda de pelos ao redor dos olhos. A pele fica mais espessa e com descamação. Podem ocorrer infecções bacterianas secundárias, como com o Staphylococus aureus (normalmente presente na pelagem dos cães), que deixarão o local inchado, vermelho e úmido. Essa sarna é transmitida da mãe para o filho e costuma aparecer quando o animal passa por um período de estresse, doença ou alguma deficiência nutricional. O tratamento e acompanhamento do médico veterinário é necessário para garantir a saúde do animal.

A prevenção se dá ao evitar que o cachorro tenha contato com outro que também estejam com a enfermidade. Caso seja sarna sarcóptica, é interessante separá-lo dos demais, enquanto estiver sendo tratado. A pessoa que mexer em um animal com essa espécie de ácaro precisa higienizar muito bem mãos e braços, antes de estar em proximidade a outro bichinho.

O animal, com lesão na pele, precisa ser levado imediatamente ao médico veterinário. Diagnosticada a sarna, é importante que o tratamento, que pode ser longo, seja seguido à risca e que a higiene animal em cães seja intensificada. Os panos, caminhas e até mesmo a casinha devem ser descartados, ou higienizados com o produto indicado pelo profissional. Higiene e limpeza são fundamentais. Só assim, a sarna será eliminada e o cão voltará a ser feliz e saudável.

Sobre o autor

Bruno Oliveira

Deixe um comentário