Shiba Inu – Principais doenças

O Shiba Inu é uma raça de cachorro japonesa que está ganhando cada vez mais notoriedade no Brasil. Muito parecido com o Akita Inu, o Shiba se diferencia por seu tamanho, considerado ideal para apartamentos. Apesar de ser pequeno, este cão é bastante resistente, pois antigamente era usado como cão de caça. Uma vantagem dos cachorros desta raça é que eles raramente latem, o que facilita ainda mais quando vivem em locais que tenham vizinhos mais próximos.

Com expectativa de vida de que varia de 12 a 15 anos, o Shiba é, no geral, saudável. Pratique exercícios diários com esse cachorro para gastar toda sua energia e mantê-lo em forma. Por mais que sua aparência seja robusta, os amantes desta raça precisam saber que existem algumas doenças de caráter genético e/ ou hereditário que podem acometê-lo e você pode saber mais sobre elas a seguir.

Condições locomotoras

As condições locomotoras no Shiba Inu são as mais vistas e relatadas na raça. As enfermidades mais comuns são a luxação de patela e a displasia coxofemoral.

Luxação de patela: Dentre as doenças genéticas que acometem os Shibas, a luxação de patela é uma das mais frequentes. De forma congênita, a raça já nasce com as características ósseas alteradas e isso tende a piorar com o tempo, manifestando sinais clínicos sutis quando filhotes. A doença é resultado do deslocamento da patela (osso que faz parte do joelho dos pets). Essa movimentação anormal resulta em dificuldade para andar, manqueira e muita dor. 

Os motivos para a condição acontecer podem ser de forma hereditária e/ ou genética, mas também de maneira traumática por algum acidente ou pela sobrecarga do joelho. Ao pensar em ter um Shiba, o ideal é se planejar para realizar os exames necessários e certificar-se que o pet está livre da doença. 

Displasia Coxofemoral: Por mais que a displasia coxofemoral seja mais comum em raças de porte grande, já foi comprovado que o Shiba Inu é predisposto à doença. Uma pesquisa foi feita com 889 Shibas na Orthopedic Foundation for Animals (OFA) e constatou que 7% dos cães eram displásicos. A condição é caracterizada pela malformação na articulação do fêmur (osso da coxa) com o quadril, resultando em um encaixe incorreto. 

A displasia pode ser bastante dolorosa para o pet e compromete diretamente seu bem-estar, pois dependendo do grau, o cachorro não consegue se locomover e realizar atividades básicas como sentar-se e levantar-se. Por se tratar de uma condição genética, os cachorros que tiverem a displasia coxofemoral devem ser retirados da reprodução e castrados, evitando a disseminação da doença.

Doenças oftálmicas

Uma pesquisa realizada como 454 Shibas pela Canine Eye Registry Foundation (CERF) registrou que 99 desses cachorros (17%) possuíam alguma alteração significativa nos olhos. Esses cães tinham entre cinco e seis anos de idade e a doença mais comum eram a catarata e atrofia progressiva da retina. Mas doenças como distiquíase, entrópio e distrofia da córnea também foram registradas.

Catarata: A condição  acomete o cristalino (lente do olho) fazendo com que ele fique opaco, não permitindo a entrada de luz e podendo levar à cegueira. 

Atrofia progressiva da retina: É uma degeneração dos fotorreceptores (neurônios que são responsáveis pela formação da imagem por meio da captação da luz) evoluindo até a cegueira total.

Distiquíase: A doença é causada quando os cílios emergem na parte interior da pálpebra dos pets, causando irritação e dor. 

Entrópio: O entrópio é parecido com a distiquíase, mas os cílios emergem de forma normal. O que acontece é que a pálpebra vira para dentro do globo ocular, fazendo com que os cílios irritem a região.

Distrofia da Córnea: A córnea é uma camada responsável pela proteção do olho. A distrofia da córnea acontece devido a múltiplas alterações que acometem essa camada. Essas alterações deixam o olho vulnerável e com um aspecto opaco. 

Alergias

Um dos problemas mais comuns que podem afetar os Shibas causam um verdadeiro desconforto no pet. As alergias tendem a acometer cães de qualquer raça, mas há um certa prevalência genética no Shiba. 

Dermatite alérgica à picada de pulga (DAPP): Acontece quando o pet tem alergia aos componentes da saliva da pulga, causando vermelhidão e coceira intensa. 

Relações alimentares: Afeta alguns exemplares do Shiba e é caracterizada por uma sensibilidade a ingredientes específicos que estão na dieta do pet. 

Dermatite atópica: É uma resposta exagerada do sistema imunológico a determinados agentes, como pólen e ácaros. 

Identificar o que está causando a alergia no pet é essencial para fazer um controle e tratamento, por isso é importante levá-lo ao médico veterinário a qualquer sinal de reação alérgica.

Outras doenças que podem afetar o Shiba Inu:

As doenças citadas são provenientes de estudos e artigos de predisposição de certas doenças em raças. Lembrando que seu Shiba Inu pode levar uma vida saudável sem ser acometido por nenhuma patologia. Entretanto, a informação e conhecimento são importantes e a qualquer sinal de anomalia com seu peludo, procure um médico veterinário.

Na Petlove, profissionais da medicina veterinária trabalham em conjunto para disponibilizar um portal sobre as principais doenças em cães e gatos, você pode conferir aqui.

Sobre o autor

Beatriz Mario

Beatriz Mario

Graduanda em Medicina Veterinária, sonho que tenho desde de criança, hoje sou conhecida como a louca dos gatos, mas nas horas vagas sou a louca dos bichos também, sem distinção. Tenho 10 lindos gatinhos resgatados e meu propósito é poder ajudar o máximo de pets possível (E seus pais e mães humanos escrevendo aqui no blog).

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.