Três motivos para NÃO levar seu pet às folias de Carnaval

Atualmente é comum vermos muitas pessoas levando pets para inúmeros locais públicos. Isso fez com que muitos estabelecimentos adquirissem a cultura Pet Friendly, possibilitando que seres humanos levem os filhos de quatro patas para tomar um suco ou comer uma porção de fritas, por exemplo. 

Apesar desta crescente de ambientes onde os peludos são totalmente bem-vindos, existem muitos locais onde eles não devem frequentar, afinal, diversos fatores podem causar complicações neles, sejam internas ou externas. Com a chegada do Carnaval, algumas das principais ruas do País são tomadas por bloquinhos e passeatas com centenas e até milhares de pessoas. Para muitos é uma questão óbvia, mas é importante destacarmos que os animais de estimação não são adeptos a ambientes deste tipo, e a gente explica o por quê. (Confira nossa outra matéria sobre 

Cachorro no carnaval

Barulhos excessivo

Não é de hoje que sabemos que os pets não suportam barulhos exorbitantes. Se os fogos de artifícios já causam um mal danado para eles, imagina deixar um cãozinho bem próximo a um trio elétrico? Eles conseguem detectar sons praticamente não audíveis para os seres humanos, além de terem uma frequência auditiva mais ampla, o que os torna muito mais sensíveis e perceptivos aos barulhos.

O grande problema do medo que a grande maioria dos pets têm de ruídos altos é a maneira como eles podem reagir. Infelizmente é comum ver alguns danos causados pelo pavor, como arranhões, machucados ou escoriações. Problemas internos, como o estresse, também são frequentes nestes animais que têm pânico de barulhos.

 

Altas temperaturas

Carnaval também é sinônimo de calor, não é mesmo? Além de ser no verão, os festejos costumam ter início no começo da tarde, quando o sol está muito forte, o que é ruim para todos, já que, de acordo com pesquisas, os horários mais seguros para se expor aos raios solares são antes das 10 horas e depois das 16 horas.

O calor excessivo pode gerar uma série de incômodos e até mesmo causar hipertermia nos pets – quadro caracterizado pelo aumento da temperatura corporal a níveis perigosos para a saúde do animal. O aquecimento desmoderado do corpo compromete o funcionamento dos órgãos e em casos graves pode até levá-los ao óbito.

 

Lixos no chão

Por fim, nestas ocasiões é comum vermos diversos tipos de lixos no chão, como garrafas de vidro, de plástico, latinhas de cerveja, bitucas de cigarro, entre outros. Durante as festas, o lixo passa despercebido e as pessoas focam apenas em curtir, consumir e descartar materiais da maneira mais fácil. Para se ter uma ideia, só em São Paulo, de acordo com a Prefeitura, em 2019, foram recolhidos mais de 420 toneladas de lixo nos quatro dias de folia.

Para os pets, esses objetos descartados podem ser uma séria ameaça. Uma garrafa de vidro quebrada, por exemplo, é capaz de causar sérias complicações nas patinhas de um cãozinho.

Portanto, o mais indicado é que os pais optem por deixar os pets em casa para assim curtir o Carnaval sem preocupações. Uma dica é levá-los para passear, brincar e agradá-los com petiscos. Isso fará com que eles sintam menos falta, já que estarão cansados, satisfeitos e longe dos tumultos.

 

Sobre o autor

Gabriel Arruda

Gabriel Arruda

É estudante de Jornalismo, apaixonado por animais e esportes. Está sempre em busca de novos desafios, justamente pela curiosidade que o toma conta. Pai de um Beagle chamado Johnny, mais conhecido como "o Destruidor".

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.