Tudo sobre a primeira visita do seu gato ao médico veterinário

Que baita felicidade ter um novo gato em casa para dar mais cor e alegria aos dias de toda família. Aqueles que já tiveram um felino sabem da importância e também como funciona a rotina de check-ups, mas os pais de pets de primeira viagem ficam ansiosos e curiosos sobre como será a primeira visita ao médico veterinário.

Pra ajudar quem está nesta situação e quer ficar por dentro de tudo que não pode faltar na primeira consulta veterinária do gato, nós reunimos as principais informações para deixar tudo bem explicado e não deixar ninguém ser pego de surpresa.

Gato-veterinario-Petlove

Quando fazer a primeira consulta

Uma das primeiras dúvidas que surgem é sobre quando deve acontecer a primeira consulta do felino. Via de regra, o novo morador precisa ser avaliado pelo médico veterinário em, no máximo, uma semana. Mas, quanto antes, melhor.

No caso da residência já contar com outros pets (que também devem realizar check-ups periódicos), melhor evitar que haja qualquer contato entre os bichinhos – e seus objetos – até que o estado de saúde do novato seja avaliado pelo doutor(a), assim você mantém todo mundo protegido de doenças transmissíveis como a sarna, FIV e FELV.

Como escolher o médico veterinário?

A gente sempre fala que quando o assunto é saúde de cachorros e gatos, não vale ficar pedindo ajuda para colegas e familiares. Mas eis aqui a única exceção: você pode, sim, recorrer à opinião de conhecidos para escolher o profissional que fará o primeiro atendimento do seu gato.

Mas atenção, assim como você provavelmente tem um doutor pra chamar de “seu”, o pet também precisa contar com um profissional que possa acompanhar todo seu histórico de saúde, então escolha um médico veterinário que você tenha a intenção de que ele cuide do seu peludinho por muito tempo. Acredite, ter um doutor que conheça bem o seu paciente ajuda bastante para que as avaliações sejam bem assertivas.

Levar em conta a comodidade também é muito importante, dê preferência às clínicas que são mais próximas à você, que são exclusivas para gatos ou solicite um atendimento em casa (mais detalhes a seguir). Pense que no caso de precisar de um atendimento mais ágil é muito melhor não precisar cruzar a cidade para socorrer o felino.

“A clínica é bela”

Alguns gatos podem ficar apavorados quando estão em um ambiente desconhecido, com diferentes pessoas, sons diversos e a presença ou odor de outros animais. Imagine como será estranho para o seu felino estar em casa numa boa e de repente ser colocado num carro, andar por ruas movimentadas, ser colocado numa sala que tem ou já teve recentemente outros animais e depois ser manipulado por alguém que ele acaba de conhecer.

Para o pet, isso pode ser o enredo de filme de terror, deixar nele um trauma difícil de ser superado e fazer você ter um trabalho danado toda vez que precisa levá-lo ao consultório. Por isso, você precisa cuidar para que essa história seja bem mais leve pra ele. E dá pra fazer isso numa boa!

Antes do dia da consulta, apresente a caixa de transporte ao gato como se ela fosse um novo brinquedo. Coloque o paninho que ele usa para dormir lá dentro e deixe o bichinho criar intimidade com o novo acessório. Assim, quando chegar o dia da visita, colocar e manter o pet dentro da caixinha de transporte será muito mais fácil – você também pode deixar um brinquedo que ele gosta ou a manta que tem o cheiro dele para ele se sentir mais confortável.

Na sala de espera, nada de abrir a caixinha de transporte e deixar o gato solto, pois a presença de outros animais ou o odor que eles deixaram por lá podem assustar o bichinho, que pode acabar te arranhando ou querendo fugir para tentar se proteger. Interaja com o peludinho a todo momento para deixá-lo mais confiante e ofereça alguns petiscos para mantê-lo entretido até chegar a vez de vocês serem atendidos.

Manter a gaiola ou caixa de transporte mais alta (e não nos seus pés) também é importante. Hoje em dia, algumas clínicas já contam com prateleiras específicas para isso, afinal, todos sabemos que os gatos adoram “ver o mundo de cima”.

Prepare-se você também para a consulta

É comum que depois que a consulta acaba, algumas dúvidas apareçam e fiquem martelando na nossa cabeça. Para isso não acontecer, é muito importante que você se prepare para aproveitar ao máximo o tempo que estiver na presença do médico veterinário.

Recentemente, nós publicamos as quatro perguntas que precisam ser feitas e para você não esquecê-las, anote todas num papel e acrescente aquelas que gostaria de esclarecer com o doutor. Lembre-se que tão importante quanto falar é ouvir, portanto, anote os principais pontos que o médico veterinário abordar e guarde muito bem a receita médica e a carteirinha de vacinação do seu peludinho.

Siga as orientações médicas

Muito bem! Você seguiu nossas dicas e a consulta foi um sucesso, só que para o seu gato ficar protegido de verdade você precisa seguir à risca TODAS as recomendações do médico veterinário.

Não substitua a ração que ele indicou para o seu peludinho, não esqueça de dar os medicamentos no tempo e na dosagem que foram recomendados, atente-se sobre a data da próxima vacina e já deixe marcada a próxima consulta. Pode parecer “chover no molhado”, mas o que tem de atendimento reincidente porque as orientações médicas não foram cumpridas como deveriam não é brincadeira…

Atendimento em domicílio

A primeira consulta (e as demais) pode ser muito mais cômoda para você e tranquila para o seu gato, já que ao invés do felino ir até ao médico, é o doutor que vai até a sua casa para cuidar do bichinho.

O atendimento é oferecido pela DogHero e, por enquanto, está disponível aos moradores da cidade de São Paulo. E se você é Assinante Petlove, tem ainda uma super vantagem: 25% de cashback* para compras no site. No nosso Blog você pode conferir algumas histórias dos atendimentos já realizados.

*Vigente na data de publicação deste post. Consulte nossa página do serviço de atendimento em casa para mais informações.

Sobre o autor

Anderson Mafra

Anderson Mafra

Jornalista apaixonado por animais, comunicação, música e não perde um concurso cultural (na verdade já perdeu vários). Curioso de mão cheia, quer saber sempre mais e compartilhar conteúdo, dicas e curiosidades do mundo pet. É um petlover assumido, sem chance de reabilitação.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.