Uso de cães como rastreadores para resgate

 

Uso de cães como rastreadores - PetLove

Uso de Cães como Rastreadores.

A utilização de cães para resgate de pessoas se iniciou na Idade Média e um exemplo clássico disso é o da Ordem Monástica Cirterciense, que utilizava exemplares da raça São Bernardo para salvar pessoas na neve. Já o uso moderno de cães de resgate começou, oficialmente, apenas no século XX, na Segunda Guerra Mundial.

Os cães são extremamente úteis nos trabalhos de busca e resgate de pessoas. Devido às suas características fisiológicas, como a mobilidade e o olfato, foi estimado que seriam necessários aproximadamente 20 homens para realizar o trabalho de um cão treinado nas missões de salvamento. Sonares também são utilizados nos resgates, porém apenas amplificam batidas de coração ou pedidos de socorro, não sendo tão eficientes quanto os cães, que trabalham em diversas situações e também detectam cadáveres nos escombros.

Qualquer cão pode ser qualificado para esse treinamento, exceto os molossos pesados e pequenos. As raças mais utilizadas, então, são: o Pastor Alemão, o Labrador, o Rottweiler. Um fator principal para se escolher um bom cão para esse tipo de função é que ele aprecie treinos pesados e que, acima de tudo, goste de pessoas. Os primeiros passos desse treinamento ocorrem com passeios, utilizando peitoraiscoleiras ou guias, em terrenos extremamente acidentados, como pedreiras, que simulam as situações que o animal irá enfrentar. Eles são expostos a barulhos extremos, como sirenes, para que não se afastem da missão inicial, que é o salvamento. Um importante detalhe é que a dupla de resgate formada entre o guia e o animal não deve ser desfeita, pois a eficiência do animal pode diminuir, caso trabalhe com algum estranho.

No Brasil, esse tipo de trabalho é desenvolvido apenas nos Estados de São Paulo, Distrito Federal, Santa Catarina e Rio de Janeiro. Geralmente os responsáveis pelos treinamentos são corporações militares, como o Corpo de Bombeiros ou a Polícia Militar, além de algumas ONGs que também realizam esse tipo de trabalho. A primeira cadela certificada para salvamentos no Brasil foi uma fêmea da raça Labrador chamada Nina que, infelizmente, veio a falecer em 2004.

Os cães são mundialmente reconhecidos como importantes ferramentas de salvamento. No Brasil, o acesso a esse tipo de adestramento para voluntários também é um trabalho realizado por organizações não governamentais, que tentam multiplicar os conhecimentos nesse tipo de adestramento, sendo possível já encontrar cursos para militares e para voluntários em geral que queiram ensinar e cadastrar seus cães para desempenhar esse tipo de trabalho.

Sobre o autor

Bruno Oliveira

Deixe um comentário