Animais de estimação silvestres

Depois da lista de animais exóticos, chegou a vez de compartilharmos algumas opções de animais de estimação silvestres! Se você tem interesse por bichinhos não convencionais, este post é um prato cheio para você conhecer e considerar um novo pet.

Lembrando que são considerados animais de estimação silvestres aqueles que pertencem à fauna brasileira e que têm criação autorizada pelo Ibama. E, como em qualquer caso de adoção ou compra de pet, somente leve um bichinho para casa depois de já ter feito um planejamento familiar e pesquisado sobre o criadouro.

Não esqueça que o tráfico de animais é uma infeliz realidade de nosso País e nós, como amantes de pets, somente apoiamos aqueles que os criam de forma legalizada e levando em conta todas as necessidades de cada uma das espécies. 

Papagaio (Amazona aestiva)

Papagaio brasileiro

Quase um clássico de animal de estimação silvestre, praticamente todo mundo tem uma história – ou uma piada – de papagaio para contar. Falante, inteligente e às vezes “temperamental”, este pet costuma ter uma vida longeva, sendo comum encontrar casos de aves que ultrapassam os 50 anos! Infelizmente, é um dos animais que mais sofrem com o tráfico, por isso, fica o reforço: procure um criadouro legalizado!

Cágado Tigre d’agua

Mais um dos animais silvestres que marcaram a infância de muita gente, o cágado gosta de levar uma vida mais pacata, de preferência em casas arborizadas ou com um jardim espaçoso. Uma dica bem legal é oferecer uma mini-piscina para o bichinho se refrescar, mas nada de baldes ou tigelas que impeçam a saída dele. O cágado precisa ter a opção de entrar e sair a hora que quiser, do contrário, há até o risco dele se afogar. Campeão em longevidade, ele pode acompanhar até duas gerações da família, já que pode chegar até os 100 anos de vida 😱.

Sagui

Mulher com dois saguis

Sai a vida pacata e entra a agitação! O macaquinho que é pura energia, agilidade e esperteza, necessita de um planejamento super caprichado para viver no ambiente doméstico, pois, além da dieta equilibrada, o peludinho necessita de um viveiro bem adaptado para chamar de casa. Ter um Sagui na família pode ser encarado como ter uma eterna criança, já que o primata adora brincadeiras, não gosta (e nem pode) de ficar sozinho e precisa ser ensinado desde cedo que nem tudo pode ser alvo da sua imensa curiosidade, pois há o risco dele acabar se machucando. Com todos os cuidados e acompanhamento médico, este macaco pode viver, em média, até 30 anos.

Aranhas (Vitalius sorocabae)

Criança segurando uma Tarântula

Pode ser que o número de visitas diminua um pouco, caso você decida por um animal como este em casa (risos). Mas ter uma aranha como pet realmente não é para todo mundo, afinal, diferentemente da maioria das outras espécies, a aranha é um animal contemplativo, ou seja, não é o tipo de bichinho que você fica pegando na mão ou interagindo várias vezes ao dia, pois além de estressar o animal, isso acaba até encurtando a expectativa de vida dele.

O primeiro passo para ter uma aranha em casa é consultar um expert no assunto para te ajudar a planejar um bom terrário, que precisa ser úmido e ligeiramente quente (em torno de 27º). De maneira geral, os machos vivem menos do que as fêmeas (muitos morrem depois da cópula – alô, Viúva Negra), enquanto eles vivem, em média, até oito anos, elas podem chegar até aos 15 anos.

Arara Azul

Arara azul olhando para a câmera

Um dos animais mais simbólicos do nosso País – até virou estrela de filme (Rio 1 e Rio 2) – a Arara Azul é uma ave bastante inteligente, dócil e comunicativa – não tanto quanto os papagaios, mas ela aprende fácil a repetir algumas palavras e até frases. É o tipo de pet que se apega muito aos humanos e não gosta de ser deixada por muito tempo sozinha. Quando isso acontece, ela começa a “pedir” por companhia e até por um pouco de diversão! A expectativa de vida da Arara Azul é de aproximadamente 50 anos.

Compartilhe esta matéria!

Sobre o autor

Anderson Mafra

Jornalista apaixonado por animais, comunicação, música e que não perde um concurso cultural (na verdade já perdeu vários). Curioso de mão cheia, quer saber sempre mais e compartilhar conteúdo, dicas e curiosidades do mundo pet. É um petlover assumido, sem chance de reabilitação.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.