Entenda o desafio do papel higiênico com cães e gatos

Quem acompanha as mídias sociais em tempos de quarentena, sabe muito bem que tanto as lives quanto as postagens de desafios têm repercutido bastante. E agora parece que chegou a hora dos pets entrarem nessa onda “challenge”.

O chamado “Desafio do Papel Higiênico”, que começou com humanos fazendo embaixadinhas com um rolo de papel novinho, recentemente ganhou a “versão pet” em modelos diferentes. No primeiro, rolos são empilhados ao lado dos animais para medir a altura dos bichanos, já na segunda, os pets, principalmente os gatos, são desafiados a pularem os obstáculos branquinhos, que ficam maiores a cada rodada.

Quem é petlover fica vidrado nesse tipo de vídeo e assiste várias vezes só pra ficar admirando a destreza dos bichinhos, não é verdade? Como se diz, a gente seria capaz de morar nesse vídeo pra sempre!

Atenção aos perigos

Não queremos fazer o papel daquela pessoa chata, que em tudo vê problema, até onde não existe, mas não podemos deixar de alertar para alguns perigos que os obstáculos (mesmo feitos de papel) oferecem aos peludinhos.

É que tanto os animais mais novos quanto os mais idosos, ou até mesmo aqueles que tenham problemas nas articulações, não podem realizar o desafio, pois há riscos de fraturas, luxações e torções. Os mais novos, por exemplo, podem sofrer lesões na cartilagem dos ossos longos (que ainda não se calcificaram por completo), já os idosos podem se machucar e agravar o desgaste normal em articulações.

O melhor a se fazer é providenciar um brinquedo específico para o porte e idade do animal, assim ele se diverte, ganha mais saúde e você fica com a cabeça tranquila de que nada de mal irá acontecer. 

Não quer deixar o seu filho de quatro patas adulto fora do desafio? Tudo bem, realmente é uma opção de entretenimento em tempos de reclusão e uma boa ideia para manter os bichinhos ativos. Apenas fique bastante atento pra ver se o seu pet está curtindo e não apresenta sinais de estresse. Rosnados, falta de interesse, arranhões (no caso dos gatos) e pelos eriçados são sinais de que é hora de trocar a brincadeira.

Lembre-se também que a recomendação é manter a rotina que seu pet tinha antes do COVID-19 transformar nossas vidas. A gente explica direitinho os detalhes pra você que tem  cachorro ou gato em casa.

Sobre o autor

Anderson Mafra

Anderson Mafra

Jornalista apaixonado por animais, comunicação, música e não perde um concurso cultural (na verdade já perdeu vários). Curioso de mão cheia, quer saber sempre mais e compartilhar conteúdo, dicas e curiosidades do mundo pet. É um petlover assumido, sem chance de reabilitação.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.