Porque você não deve mudar a rotina do seu cão durante a quarentena

Ficar em casa com nossos pets pode ser uma verdadeira tentação. Quem é que não adoraria passar o dia todo fazendo carinho  ou brincando com seu cachorro? Com a quarentena, isso passou a ser uma realidade para muitas pessoas, mas precisamos ser racionais e, infelizmente, terei que jogar um balde de água fria nesses momentos, afinal mudar completamente a rotina dos nossos peludos pelo fato de estarmos em casa pode ser um grande problema.

Porque você não deve mudar a rotina do seu cão durante a quarentena

Não, estar cumprindo a quarentena não pode ser comparado ao período de férias. Isso porque, durante as férias, raramente ficamos trancados o tempo todo em nossas casas. Ao contrário disso, levamos nossos cães para passear, vamos até o parque, jogamos bola, brincamos com eles e também fazemos diversas atividades sem nossos animais para nosso lazer individual. 

Estar dentro de casa, confinando, 24 horas por dia é algo novo e atípico para todos nós e precisamos pensar nas consequências desse isolamento a médio e longo prazo…

A quarentena para os cães

Cachorros adoram uma novidade e devem ser estimulados com frequência para descobrirem e aprenderem coisas novas, mas já sabemos que eles precisam de uma rotina diária. Acordar, brincar, se alimentar, dormir… os cães que vivem em casa não podem ser comparados com seus ancestrais, os lobos, que passavam o dia atrás de presas, e nem com cães de trabalho – que costumam ter uma rotina ainda mais certinha. Os nossos peludos, em maioria, se adequam de acordo com o dia a dia de nossas famílias e os hábitos da casa, ou seja, cada um levará uma vida diferente do outro. 

Se seu cachorro não faz as necessidades dele em casa e vocês saem todos os dias no final da tarde, na medida do possível e tomando os devidos cuidados, continue saindo com ele. Se ele come assim que vocês acordam, não resolva dar o alimento no seu horário de almoço. 

Os cachorros são seres bastante sociais e, agora sim pensando em seus ancestrais, viveriam em grupos na natureza. Para nossos cães, nós fazemos parte deste grupo social. Quando levamos um filhote para casa e o tiramos do convívio com a mãe e os irmãos, a maior queixa das pessoas é que esse pet chorou sem parar, por noites seguidas, ao se ver sozinho. Agora, uma pergunta muito importante: o que pode acontecer se ficarmos de quarentena por várias semanas, dando atenção full time aos nossos cães e, “do nada”, abruptamente, toda a família voltar a trabalhar e estudar? 

Ansiedade, depressão, estresse e destruição de móveis e objetos podem ocorrer. Os nossos animais são seres super adaptáveis e é claro que vão se acostumar facilmente a serem mimados o tempo inteiro e a receberem atenção demasiada de todos os membros da família… mas a questão aqui é o que vem depois, quando tudo isso acabar e voltar ao normal.   

Como seria a rotina ideal para meu cão na quarentena?

A rotina ideal para seu cachorro na quarentena seria seguir mais ou menos o que vocês já fazem todos os dias, nos mesmos horários. Mas tem uma questão essencial que precisa ficar clara: não é para mantermos nossos pets ociosos! Se vocês passeiam uma hora por dia, por exemplo, e isso deixou de ser feito por conta do isolamento, brinque com ele pelo mesmo tempo (ou um pouco mais) dentro de casa. 

Aproveite, sim, para oferecer vivências novas para seu pet, mas não faça com que isso tome seu dia inteiro. Brinquedos interativos e recheáveis, ossos naturais e até mesmo alternativas confeccionadas por você com garrafa pet podem ser uma ótima pedida. Ensinar um truque novo, estimular a “caça de petiscos” e fazer uma bela escovação em seus pelos também são ótimas pedidas. 

Sobre o autor

Jade Petronilho

Jade Petronilho

É jornalista por formação e comportamentalista veterinária por paixão. Desde criança é a "louca dos bichos", por isso resolveu estudar medicina veterinária, etologia e nutrição animal, mas ainda pretende, um dia, fazer zootecnia. Atualmente tem dois cachorros, quatro gatos e 11 peixes, mas além de cães, gatos e peixes, também já foi tutora de um coelho, três periquitos, dois porcos da índia, dois pintinhos e três cabritos. Hoje, é Coordenadora de Conteúdo Veterinário da Petlove.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.