Estudo revela que tutores de gato podem ser mais resistentes a Covid-19

Graças aos inúmeros estudos, todo mundo já sabe que conviver ao lado de um pet traz muitos benefícios, desde reduzir a propensão à ansiedade e depressão, até mesmo diminuir o risco de morte. Desta vez, Sabina Olex-Condor, médica veterinária que trabalha na emergência de uma clínica em Madrid, na Espanha, fez uma descoberta surpreendente sobre o novo Coronavírus, com base em 100 pacientes infectados: pessoas que têm um pet em casa resistem à Covid-19 mais facilmente ou até de forma assintomática – sem apresentar sintomas.

A autora da pesquisa conta que os enfermos ou familiares foram perguntados sobre o convívio com pets para que fossem dadas algumas informações sobre o isolamento dentro de casa. E foi a partir disso que ela notou que a maioria dos pacientes não tinha animais de estimação. Alguns afirmavam ter cães, mas quase nenhum dos infectados possuíam um felino no lar.

A hipótese levantada é de que a convivência com a saliva e os pelos dos pets pode fortalecer a imunidade dos humanos contra o Coronavírus.

A médica explica que “isso é chamado de reação cruzada, e existe na natureza. Os anticorpos contra um vírus também destroem outro semelhante. Sabe-se que essa proteção não é 100% porque nem todos os gatos entram em contato com coronavírus felino e nem todas as pessoas desenvolvem imunidade da mesma maneira”. Contudo, “há uma suposição de que podemos lidar com maior imunidade devido ao contato com coronavírus específicos para animais de estimação e um sistema imunológico mais eficiente”.

Além disso, o estudo, divulgado pela influente “Magazine Miau”, comprova também que alguns profissionais da saúde que não tinham pets em casam foram infectados pela Covid-19, enquanto os que possuíam gatos continuaram saudáveis e trabalhando normalmente.

“Sabe-se que os gatos podem ter a forma de Coronavírus felino, que não infecta as pessoas. Portanto, é possível que pessoas que tenham contato diário próximo com gatos desenvolvam anticorpos para o vírus felino que também podem destruir o vírus humano”, disse Sabina em entrevista para a Magazine Miau.

Com isso, a hipótese levantada por Sabina Olex-Condor é de que a convivência com a saliva e os pelos dos pets pode fortalecer a imunidade dos humanos contra o Coronavírus.

Em uma publicação nas redes sociais, a médica veterinária alegou preocupação com a crescente do número de abandonos de animais de estimação em todo o mundo por conta do medo de muitas pessoas desinformadas sobre o novo Coronavírus.

Por ainda o estudo não ter uma base científica mais sólida, vale lembrar que as pessoas infectadas pela Covid-19 devem ser isolados socialmente, tanto de humanos quanto de pets, assim como recomenda a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Sobre o autor

Gabriel Arruda

Gabriel Arruda

É estudante de Jornalismo, apaixonado por animais e esportes. Está sempre em busca de novos desafios, justamente pela curiosidade que o toma conta. Pai de um Beagle chamado Johnny, mais conhecido como "o Destruidor".

1 Comentário

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.