Oito dicas para manter seu cachorro idoso mais feliz

Lá se vão longos e bons anos ao lado daquele cachorro que você escolheu para ser o seu parceiro de jornada. A disposição dele pode até não ser mais a mesma de anteriormente, mas nem por isso ele deixa de demonstrar amor e que ainda tem planos de viver muito tempo ao seu lado.

E, claro, você como petlover assumido que é também se preocupa com o bem-estar do seu pet “vovozinho” e quer continuar cuidando dele da melhor forma possível, não é verdade? Como as necessidades de prevenção aumentam com o avançar da idade, você precisa ficar atento a cada detalhe para garantir um envelhecimento saudável ao seu cãozinho. Confira nossas dicas abaixo:

Ajude-o a manter uma dieta saudável

Uma boa alimentação é essencial durante a vida toda do cachorro, mas lembre-se que a partir do sétimo ano, o seu cão já pode ser considerado idoso e nesta fase é necessário oferecer uma alimentação que seja capaz de proteger ainda mais o organismo dele, que vai perdendo vitalidade, assim como acontece com a gente.

Cachorro-idoso-feliz-Petlove

Rações úmidas e secas ricas em glucosamina, condroitina, vitamina C e ácidos graxos ômega-3 – que auxiliam na saúde do cérebro, pele e articulações, costumam ser as melhores opções. Neste post a gente deu dicas de excelentes rações para cachorros seniores, mas vale lembrar que o seu médico veterinário ou zootecnista são as pessoas mais indicadas para recomendar qual(is) alimentos são melhores para o seu cão.

Mantenha seu cachorro na ativa (mas sem exagerar)

As caminhadas pelas ruas e parques são atividades que precisam ser rotineiras na vida do seu filho de quatro patas, pois ajudam a manter o corpo saudável, desestressam, aliviam a ansiedade e ainda ajudam a estreitar o relacionamento de vocês.

Se a raça do seu cachorro pede mais movimentação e exercícios, continue incluindo práticas de corridas e desafios de caça e agilidade, por exemplo. O importante é respeitar os limites do peludinho, que à medida que envelhece vai perdendo em condição física, mas sem deixar de mantê-lo ativo para garantir que a “máquina corporal” do bichinho continue funcionando com eficiência.

E nada de deixar o cachorro pegar gosto pelo sofá. Mesmo que ele demonstre vontade de permanecer deitado, anime-o para um passeio, atraindo com a ajuda de alguns petiscos e muito carinho. No caminho, com certeza, ele te agradecerá pela insistência.

Cuide das articulações 

Uma das enfermidades que mais levam os cães idosos para as clínicas veterinárias são os problemas nas articulações, principalmente os cães de grande porte.

Os episódios de inflamações nas articulações são comuns e podem acontecer por conta de processos degenerativos ou desgastes naturais, por isso, é muito importante não descuidar da prevenção (boa alimentação, prática de exercícios e exames regulares) e ficar atento aos sinais: incômodo e dores para dormir ou caminhar, choro ou uivos constantes, mudança de comportamento (ex.: impaciência ou agressividade), claudicação, entre outros. 

Outra excelente iniciativa para ajudar a proteger as articulações do seu cachorrinho é utilizar rampas, escadas e até mesmo pisos menos escorregadios para facilitar a movimentação e evitar acidentes em casa.

Não esqueça da vida social

Alguns acreditam que, ao envelhecer, o cachorro precisa entrar numa vida de “animal aposentado”, que ele necessita somente de comida e bons sonos para ficar bem.

Nada disso. Independentemente da fase de vida do seu cão, ele precisa ter uma vida social rica e com experiências diversas para melhorar sua socialização, deixar fluir os sentidos e explorar a curiosidade que tem.

Permita que ele continue interagindo com outras pessoas, crianças e pets, lembre-se que o cachorro é uma eterna criança e que restringi-lo a uma vida isolada só contribuirá para um cenário de estresse e agressividade, que pode, inclusive, levá-lo à depressão canina.

Cuide dos dentes dele

Motivo de preocupação entre os idosos humanos, os dentes também requerem atenção nos animais de pelos brancos, devido à idade avançada.

Só que ao contrário de nós, que estamos preocupados também com a questão estética, o cão não tem vaidade e precisa de dentes fortes para continuar roendo seus brinquedos e a ração, e igualmente saudáveis para prevenir uma série de doenças, como inflamação gengival, gengivite e demais doenças periodontais, por exemplo.

Claro que a escovação não cabe somente na fase sênior do cachorro e que desde filhote você precisa acostumá-lo a ter seus dentes higienizados. Caso você não saiba por onde começar, leia esta nossa matéria

Faça o bichinho “quebrar a cabeça”

Outro cuidado essencial e que muitas vezes passa batido, é cuidar da saúde mental do seu cão, que vai necessitando de mais cuidados ao longo da vida.

Sabe aquelas mudanças bruscas de humor, como dificuldade em reconhecer as pessoas e até mesmo responder àqueles comandos que ele atendia prontamente? Pois é, são sinais que a função cognitiva do cão já não anda tão afiada e precisa de ajuda médica para não ficar ainda mais comprometida.

Para evitar chegar a essa condição, você deve exercitar diariamente a mente do seu “vovô”. Como fazer? Mais simples do que você imagina, basta caprichar na oferta de brinquedos, levá-lo para explorar ambientes diferentes, ensiná-lo um truque novo e servir a ração em um comedouro lento, são alguns bons exemplos para você se inspirar. O importante é fazer o bichinho forçar a cabecinha e explorar seus sentidos.

Duplique as visitas ao veterinário

Com as devidas exceções – afinal, dependendo da condição alguns pets precisam que o intervalo seja menor -, uma visita anual ao médico veterinário é o mínimo que você precisa garantir ao seu pet. 

Mas, como a saúde do cachorro fica mais fragilizada quando ele se torna um idoso e as doenças tendem a surgir com mais facilidade, que tal passar a fazer visitas semestrais ao doutor(a) para assegurar que, de fato, está tudo bem com o seu peludinho?

Algumas doenças dão alguns sinais antes de se manifestarem, facilitando o tratamento preventivo. Já outras têm maior chance de desaparecerem ou de serem controladas quando ainda estão em seu estágio inicial. Veja quais exames não podem ficar de fora do check-up, de acordo com a idade do seu cachorro.

Mostre a seu cão mais velho e muito amor

Todas essas dicas que demos até aqui são provas absolutas de amor que você dá ao seu velhinho preferido, mas que ele pode não entender a dimensão exata de tanto afeto.

Então, pra ele não ficar com nenhuma pontinha de dúvida de que é muito importante e fruto de uma adoção que foi feita multiplicar a alegria da família, demonstre sempre que puder o seu contentamento por tê-lo por perto.

Abuse das sessões de carinho, faça elogios constantes, surpreenda-o com o petisco predileto dele e não fique satisfeito até fazê-lo balançar o rabinho de felicidade pelo menos uma vez ao dia. 

Dizer e praticar o amor tem o poder mágico de tornar a nossa vida e a de quem a gente gosta em algo muito mais prazeroso!

Sobre o autor

Anderson Mafra

Anderson Mafra

Jornalista apaixonado por animais, comunicação, música e não perde um concurso cultural (na verdade já perdeu vários). Curioso de mão cheia, quer saber sempre mais e compartilhar conteúdo, dicas e curiosidades do mundo pet. É um petlover assumido, sem chance de reabilitação.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.